Mensagens

A mostrar mensagens de Junho, 2016

Está aí alguém?

Imagem
Em «Missing», primeiro filme made in USA do realizador Costa-Gavras, encontramos Sissy Spacek e Jack Lemmon a vaguear pelo Chile, nos papéis (respectivamente, como é óbvio) de esposa e pai de um homem desaparecido sem deixar rasto. O filme é a procura desse indivíduo, um activista social que talvez saiba demais para os parâmetros estabelecidos pelos militares chilenos. Entre os meios burocráticos em que os dois americanos se movimentam para que a verdade venha ao de cima, há espaço para traçar o nó de um problema político grave e sangrento, e denunciar o envolvimento dos americanos no coup d'état chileno, que depôs Allende para lá meter Pinochet.
Lemmon só recebeu um Oscar na vida. Mas é um daqueles actores que merecia ter na sua estante tantas estatuetas como o número de dias que tem a semana. E é particularmente memorável o momento em que chama pelo seu filho no enorme estádio cheio de gente considerada como altamente perigosa para o regime. Pode-se dizer que, talvez, o Cinema …

O imenso adeus

Imagem
«The Two Jakes», sequela directa do clássicozíssimo «Chinatown», é um daqueles segundos filmes que não vão para a lista dos dispensáveis, enquadrando-se antes na categoria de "fita-frouxa-que-nunca-poderia-fazer-frente-ao-original-mas-que-nem-por-isso-deixa-de-ser-interessante". Fruto de uma turbulenta produção (demorou meia década a ser concretizado e passou por várias mudanças de elenco e equipa técnica), o filme passa-se onze anos depois daquele caso fatídico em que encontrámos Jake Gittes pela primeira e, até então, única vez. 
E seguindo as pistas do dramático desfecho dessa narrativa anterior, em «The Two Jakes» reencontramos Gittes, mas está diferente. O passado nunca o abandonou e vamos percebendo, à medida que tudo se desenvolve e à medida que vamos encontrando, aqui e ali, muitas referências e semelhanças ao mistério que envolvia John Huston e interesses económicos obscuros - quem já viu «Chinatown», sabe que o cerne não está aí. Mas é nesse aspecto que encontramo…

Some stuff das internetes

Imagem
Um pequeno update de coisas que tenho feito para outros sítios:


Voltei à Máquina de Escrever, para falar de um enorme clássico do cinema. Uma das grandes descobertas que fiz nos últimos tempos, que regressou ao mercado DVD a um preço estupendamente bom: «Last Train to Gun Hill», de John Sturges, com os lendários Anthony Quinn e Kirk Douglas (que está quase a completar 100 anos de vida!). Um daqueles filmes que vai para um hipotético top de preferidos, analisado num artigo que podem ler aqui.

E Um Lance no Escuro regressou (e desta vez, é um regresso definitivo, e não uma tentativa falhada - como as duas outras que fiz em abril). Estamos a entrar na recta final, e esta fornada de últimos episódios promete (eu já gravei três e digo que, ultimamente, e como sempre, tenho tido a sorte de ter convidados excepcionais). O primeiro, emitido na passada quarta-feira, teve Rui Zink como convidado. Uma bela conversa sobre livros, BD, política, o mundo e os portugueses em particular. Podem escutar…