quinta-feira, 30 de abril de 2015

Confissão de um Comissário (Confessione di un commissario di polizia al procuratore della repubblica) [1971]


Um surpreendente estudo sobre o poder e a justiça naquele que foi um dos primeiros retratos cinematográficos das implicações da máfia no sistema político italiano. Confissão de um Comissário é um grande filme subvalorizado que já está disponível em DVD.

É um jogo de “gato e rato” dentro e fora dos meandros da justiça, surpreendente no desenvolvimento da narrativa e na forma como são dissecados muitos dos “podres” da sociedade italiana (e não só!). Promovido como um puro e duro filme de ação, à época do seu lançamento nos EUA, o conteúdo crítico de Confissão de um Comissário eleva este drama policial a um nível de interesse que, infelizmente, se tornou intemporal, e que o torna muito mais do que um simples filme de “pancadaria” ou de “polícias e ladrões” (ou neste caso, “polícias, ladrões, e polícias que são também ladrões”). O efeito do suspense, dos diálogos e da mise-en-scène permaneceu inalterável, com o passar dos anos, mesmo que o lado kitsch do filme queira aparentar o contrário.

Leiam a crítica integral na Máquina de Escrever.

Um Lance no Escuro... e João Leitão!


Como foi gravada há mais de uma semana, esta entrevista tem alguns detalhes "datados". Não só o filme teve uma primeira semana de exibição com poucos espectadores, como também, a partir de hoje e por causa disso, o «Capitão Falcão» sai de várias salas de Cinema (mais de uma dezena). No entanto, isto não diminui o meu entusiasmo pelo filme. Talvez aqui devemos ter um pouco de nostalgia pela "censura" posta em prática em democracia: há poucas décadas um sketch com a rainha Santa Isabel acabou com um programa do Herman. E este filme, tão provocador que é, ainda não incomodou ninguém?! Vamos, criem uma polémica com o Capitão Falcão, convençam todos os portugueses a ver o filme!!! Enquanto isso, podem ouvir aqui em baixo este Lance no Escuro.


UM LANCE NO ESCURO 28

segunda-feira, 27 de abril de 2015

Um Lance no Escuro regressa com Jorge Silva Melo


O programa está de volta, e com uma bonita entrevista! O convidado é Jorge Silva Melo, que encenou "Doce Pássaro da Juventude" de Tennessee Williams, que esteve em cena no Teatro São Luiz - e que agora, só volta para o ano! Uma conversa sobre Teatro e Cinema, que já está disponível em podcast, aqui em baixo.

(fotografia de Nelson Garrido)´


UM LANCE NO ESCURO 27

segunda-feira, 20 de abril de 2015

Mais um Clarão


A emissão mais épica do Clarão contou com o Augusto, com o Rafael e também com a minha pessoa. Nunca um programa de meia hora deu tanto trabalho a fazer na História da Rádio (passámos por todos os percalços possíveis e imaginários durante a gravação), mas o resultado final até que ficou giro - e os problemas foram recompensados pelos alegres momentos de folia que passámos em estúdio. Podem ouvir tudo aqui:


CLARÃO 16/04

quinta-feira, 16 de abril de 2015

A guerra dos tronos





Once Upon a Time in the West - Sergio Leone, 1968

Phoenix [2014]


O mais recente filme de Christian Petzold traz-nos um retrato dos demónios do Holocausto no pós-guerra. E Nina Hoss triunfa numa belíssima história de amor e de mentiras. 

Poderia ser um filme de Hitchcock, e as referências são bem notórias dessa e outras influências, mas Christian Petzold não quer só fazer um thriller histórico limitado ao suspense. O realizador de Yella e Barbara utiliza um modelo de narrativa clássico para revelar, através de uma cinematografia singular e de grandes interpretações, a forma como a Alemanha lidou com as consequências dos atos cometidos, após o final da II Guerra Mundial. Mas há mais, nesta história que soa, mas apenas aparentemente, a algo que poderia ter características unidimensionais e previsíveis.

Leiam a crítica integral na Máquina de Escrever.

Modernices...





The Major and the Minor - Billy Wilder, 1942

segunda-feira, 13 de abril de 2015

Dos bons diálogos

#1





#2






#3


Uma pequena parte dos maravilhosas opinações de Chance Wayne (Paul Newman).

Sweet Bird of Youth, Richard Brooks (a partir da peça de Tennessee Williams), 1962

quinta-feira, 9 de abril de 2015

Um novo logotipo


Esperando conseguir retirar este estaminé da hibernação a que lhe submeti forçadamente nos últimos tempos, decidi mudar a imagem da Companhia. O resultado foi este trabalho impecável, da autoria da Raquel Santos Silva (do Espalha-Factos) e que a partir de hoje, será a imagem de marca tanto do blog como da sua página de facebook. Em breve trarei novidades (além de que vou publicar alguns posts que estão há muitos meses a ganhar pó na secção de "rascunhos"), vou proceder a várias alterações nos textos de Cinema (estou a modificar a pouco e pouco as "estrelas" dadas em cada um dos filmes, adaptando-as ao novo sistema que escolhi) e tenho algumas ideias para conseguir voltar a manter a diversidade de conteúdos deste espaço, como sempre quis que assim fosse (porque o conceito disto é tão abrangente... que pode caber tudo aqui dentro!). Não é um blog só de Cinema, ou só com links para textos que escrevo noutros lados, e nem quero que o facebook acabe por suplantar a importância opinativa que sempre dei a esta minha criação. Aqui haverá também literatura, música, charla vária e muito mais. O meu programa também vai regressar no final deste mês, mas esta ressurreição bloguista começará a ser feita, um degrau de cada vez, a partir dos próximos dias. Obrigado por seguirem a Companhia... e vamos lá ver o que vai sair daqui!

terça-feira, 7 de abril de 2015

Os filmes da 8 ½ – Festa do Cinema Italiano em 2015


Depois da MONSTRA, a pandilha da Máquina de Escrever andou a descobrir muitos filmes exibidos por mais uma incrível edição da Festa do Cinema Italiano em Lisboa - que agora partirá para o Porto e, depois, para outras localidades do país e, quiçá, do mundo. Um artigo que foi actualizado todos os dias, com novas críticas escritas pelo Diogo Seno, pelo Lourenço Rocha e pela minha pessoa, e que pode ser lido na sua totalidade aqui!