sexta-feira, 3 de julho de 2015

As Nuvens de Sils Maria (Clouds of Sils Maria) [2014]


No mais recente filme de Olivier Assayas, “As Nuvens de Sils Maria”, Juliette Binoche é a estrela de uma reflexão sensaborona sobre o mundo dos palcos. 

Quando começa, As Nuvens de Sils Maria parece que tem tudo para dar certo: na era moderna vemos uma atriz perturbada pelo seu próprio êxito (Juliette Binoche), que se vê confrontada com o passado e com uma nova versão da peça que a tornou numa estrela, 20 anos antes. Guiada pela sua manager (Kristen Stewart a fazer o ar de “frete” habitual), a artista tenta controlar a dor dos sentimentos perdidos com a solidão psicológica do presente. Dito deste modo, fica-se mesmo com a impressão de que Olivier Assayas nos quer apresentar uma história sobre o passado e o presente da Arte, e das relações intrínsecas que se criam entre a ilusão do palco e a desilusão da existência.

Leiam a crítica integral na Máquina de Escrever.

1 comentário:

  1. "As Nuvens de Sils Maria": 2*

    "As Nuvens de Sils Maria" deixou algo a desejar e deixou-me com um sabor amargo na boca.
    "Clouds of Sils Maria" deu-me sono e cheguei a adormecer numa ou outra cena.

    Cumprimentos, Frederico Daniel aka Os Filmes de Frederico Daniel.

    ResponderEliminar

Se chegaram até aqui e tiverem alguma mensagem, crítica, ou opinação a fazer em relação ao que acabaram de ler, façam o favor de o escrever aqui. A gerência agradece e responde (se não forem nenhum príncipe da Malásia que tem 10 milhões de dólares para me oferecer, claro).