segunda-feira, 11 de maio de 2015

Força Maior (Turist/Force Majeure)


“Força Maior” é um filme que questiona os valores morais do ser humano em situações de risco, e a vulnerabilidade de uma família face aos perigos físicos e psicológicos que a rodeiam. 

Força Maior é uma história que coloca em causa a ética e o instinto do ser humano, através de uma situação que, à partida, tinha tudo para ser corriqueira, banal, passageira, e que só poderia ser lembrada posteriormente, apenas, através de muitas fotografias e recordações mais ou menos divertidas, pelos seus intervenientes: a viagem de férias de uma família nos Alpes franceses. 

O que há de errado neste quadro? É que há qualquer coisa imprevisível que irá afetar não só a relação entre o casal e os filhos, como também a estadia naquele sítio gelado, mas paradisíaco à sua maneira. É esse elemento, representado por um pequeno, mas fatal, gesto do patriarca da família (que, ao contemplar uma “avalanche”, tem o primeiro impulso de fugir a sete pés), que faz o interesse e a… força maior deste filme, e que é, também, o tema mais acutilante aqui abordado pelo realizador Ruben Östlund. 

Leiam a crítica integral na Máquina de Escrever.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Se chegaram até aqui e tiverem alguma mensagem, crítica, ou opinação a fazer em relação ao que acabaram de ler, façam o favor de o escrever aqui. A gerência agradece e responde (se não forem nenhum príncipe da Malásia que tem 10 milhões de dólares para me oferecer, claro).