terça-feira, 10 de março de 2015

Celebrar o Cinema Italiano com homenagens, estreias e novos talentos


A oitava edição da Festa do Cinema Italiano tem como mote uma imagem que relembra o célebre A Doce Vida, acompanhada pela hashtag “italians do it better”. Fazendo melhor ou não, certo é que o cinema italiano tem características próprias que o diferencia dos outros. E além de Fellini (que será recordado através do novo filme de Ettore Scola, Que Estranho Chamar-se Federico), teremos outros ícones da cultura cinematográfica italiana a serem também homenageados neste festival. 

Sergio Leone é um dos principais destaques desta Festa, e o alvo de uma retrospetiva quase integral. À falta de O Meu Nome é Ninguém, título que co-realizou, os espectadores serão recompensados com a exibição dos clássicos westerns spaghetti do realizador, vários deles em cópias digitais restauradas. A acrescentar a O Colosso de Rodes (primeiro filme de Leone), à trilogia dos dólares com Clint Eastwood e aos dois westerns que se seguiram (Aconteceu no Oeste e Aguenta-te Canalha!), está incluído neste ciclo o canto de cisne do realizador, Era Uma Vez na América. O drama protagonizado por Robert de Niro será apresentado na sua versão “director’s cut”, inédita em Portugal, e que conta com várias cenas excluídas da montagem final.

Leiam a notícia completa na Máquina de Escrever.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Se chegaram até aqui e tiverem alguma mensagem, crítica, ou opinação a fazer em relação ao que acabaram de ler, façam o favor de o escrever aqui. A gerência agradece e responde (se não forem nenhum príncipe da Malásia que tem 10 milhões de dólares para me oferecer, claro).