Sobre os TCN


Apesar da escrita ser uma das minhas essenciais ferramentas existenciais, torna-se difícil expressar, através dela (e tal como me aconteceu com o oposto, com a expressão oral, diante da plateia que compôs o Deliart Caffé no passado dia 10) tudo aquilo que gostaria verdadeiramente de dizer e de agradecer, no que diz respeito aos TCN Blog Awards 2014 e aos dois prémios (completamente inesperados, principalmente o de Blogger do Ano) que recebi nessa cerimónia. 

Mas talvez ainda consigo dizer qualquer coisa sobre este ano de TCN - e que foi o melhor, entre as três edições em que pude até hoje estar presente. Não vai sair nada de jeito, mas é quase impossível mostrar, da maneira mais eficaz, a forma como me sinto emocionado por tudo isto (as lagrimitas na entrega do prémio de Entrevista foram um indício disso). E queria pedir desculpa a todos aqueles que conheço via online e que estavam lá no sábado, e que eu não consegui reconhecer (e até posso ter passado por eles que nem me apercebi). Mas foi óptimo estar reunido, pela última vez como membro do Espalha-Factos (mas já na posição de desgraçado desertor), com uma porção dos óptimos colegas que por lá conheci e que com quem trabalhei. Foi também uma alegria ver o Sebastião Barata, partner de Cinema, a vencer o prémio pelo seu blog "Milímetro a Milímetro". E foi, ainda, um orgulho poder descobrir finalmente (e de forma hilariante) a identidade de Pedro Cinemaxunga - ou pelo menos, do seu queixo -, numa revelação que teve direito a «Commando» e a descobertas em primeira mão sobre tão obscura personalidade blogueira. Por fim, vimos todos a Tuxa ao vivo. Que mais há para dizer? Claro que esta sessão tinha de ser memorável!

2014 foi um ano incrível, e 2015 é para continuar, tanto como no novo site que me vai acolher, como no regresso de «Um Lance no Escuro», com grandes surpresas, em fevereiro... e tantas outras coisas mais. Mas para o ano há mais TCN, e eu provavelmente não poderei ser nomeado pelas características mais complexas que vão envolver o novo site em que vou colaborar (que já agora, chama-se «Máquina de Escrever» e vai nascer no próximo dia 15!). Como disse o Manuel Reis, no momento em que eu "subi ao palco" pela segunda e última vez na cerimónia, esta talvez tenha sido uma despedida perfeita para o culminar de uma colaboração no EF que me envolveu intensamente ao longo de tantos meses. Muito obrigado a todos, quer os que votaram, quer os membros do júri, como também aos senhores Vittorio Storaro e António-Pedro Vasconcelos, por me terem deixado entrevistá-los e porque foi graças a eles, e às suas conversas tão interessantes, que as nomeações aconteceram. Foi uma honra estar ao pé de tão boa gente que escreve melhor do que eu, e mais do que isso, é uma honra pertencer a esta nossa blogosfera. Um bom ano para todos, sempre com bons posts, bons filmes e boas séries!

P.S. - Como eu avisei, isto não saiu nada de jeito. Mas era mesmo só para agradecer - e um simples "obrigado" vale por tudo o que aqui escrevi sem qualquer jeito.

Comentários

  1. Em primeiro lugar Muitos Parabéns!!!!
    Em segundo, não concordo com o P.S. e não acho que o escrito tenha sido "sem qualquer jeito"... pelo contrário, acho que foi muito sentido e emocionado, o que é natural, até pelas mudanças em curso. Parabéns, parabéns, parabéns, boa sorte e bom trabalho nos novos projectos e em tudo em 2015 ! Continuaremos a seguir as publicações, claro!

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Se chegaram até aqui e tiverem alguma mensagem, crítica, ou opinação a fazer em relação ao que acabaram de ler, façam o favor de o escrever aqui. A gerência agradece e responde (se não forem nenhum príncipe da Malásia que tem 10 milhões de dólares para me oferecer, claro).