sábado, 22 de novembro de 2014

20.000 Dias na Terra (20,000 Days on Earth) [2014]


Uma espécie de documentário, com muita ficção à mistura, sobre um dos músicos mais carismáticos da atualidade, na perspetiva e na voz do próprio. É uma das obras mais inventivas que vimos em muito tempo – e das poucas que consegue realmente ressuscitar e dar uma nova vida ao conceito deste género cinematográfico. 

Acompanhamos um dia normal na vida de Nick Cave. Aliás, não se trata de um dia normal como todos os outros dias normais, porque o que vemos no filme é o percurso quotidiano que o músico australiano e vocalista dos Nick Cave and the Bad Seeds fez, naquele que é o seu 20.000.º dia de vida no planeta. E por isso, apesar de querer parecer vulgar e banal, nunca deixa de ser especial para todos os espectadores – porque, obviamente, se esta não é uma personalidade como as outras (e lá está, se não é um indivíduo “normal” – algo que revela muito do espírito do documentário, já que este desconstrói os pormenores mais corriqueiros do dia a dia através de uma forma diferente, por causa deste formidável artista), o seu quotidiano também não se assemelhará, em grande parte, ao de qualquer um de nós. E mesmo nas coisas que coincidem com tudo aquilo que cumprimos diariamente… nunca as poderemos fazer da mesma maneira que Nick Cave – porque esta é uma figura que, mesmo que seja “apanhado” em situações mais estereotipadas da vida mundana, não se torna, por isso, num estereótipo andante.

Leiam a crítica integral no Espalha Factos.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Se chegaram até aqui e tiverem alguma mensagem, crítica, ou opinação a fazer em relação ao que acabaram de ler, façam o favor de o escrever aqui. A gerência agradece e responde (se não forem nenhum príncipe da Malásia que tem 10 milhões de dólares para me oferecer, claro).