A Viagem a Itália (The Trip to Italy) [2014]


Depois do sucesso da primeira viagem, filmada em 2010 para a televisão e para o cinema, Rob Brydon e Steve Coogan decidiram repetir a fórmula. E o resultado volta a ser incrível, neste grandioso passeio por Itália, onde apreciam a sua gastronomia e a vivência das suas gentes… e desenvolvem, também, mais uma série de conversas hilariantes, sobre tudo e mais alguma coisa. 

Numa era em que a televisão parece querer ocupar à força o lugar do cinema, – porque o cinema não tem, ou não quer ter, forças suficientes para se distanciar dos modelos televisivos, aproximando-se inevitavelmente, e cada vez mais, desse outro ecrã, torna-se interessante analisar um caso de sucesso como este. Elaborado para ambos os formatos (os dois filmes são compactos de duas minisséries que passaram originalmente na BBC), A Viagem a Itália é o resultado de uma seleção criteriosa dos momentos mais memoráveis deste reencontro entre Rob Brydon e Steve Coogan, num périplo gastronómico que vive dos engraçadíssimos momentos de conversa entre os dois artistas. 

Este é um caso curioso porque se trata de uma ideia que funciona perfeitamente nos dois ecrãs. E mesmo que a realização de Michael Winterbottom sirva, apenas, para mostrar a história e acompanhá-la delicadamente com os ambientes que a envolvem, esta faz com que não nos deixemos, por isso, de distrair do essencial – que é essa tal química entre os dois protagonistas, que origina diálogos inesquecíveis, numa sucessão de risos e gargalhadas como raramente conseguiria ser possível obter através de uma obra com estas características. E, por isso tudo, o resto consegue funcionar muito bem no filme, e faz com que este mereça ser visto numa sala de maiores dimensões do que aquela que temos em nossa casa. Até porque será muito pouco provável que a série original (possui mais uma hora) chegue algum dia a Portugal.

Leiam a crítica integral no Espalha Factos.

Comentários