quinta-feira, 11 de setembro de 2014

Os Maias - Cenas da Vida Romântica (Versão Integral) [2014]


Ao mesmo tempo que o filme, com duas horas e 17 minutos, chega hoje a várias salas de cinema do país, a adaptação da obra de Eça de Queiroz poderá ser também vista na versão do realizador, numa iniciativa exclusiva do Cinema Ideal. Com mais 50 minutos, a descoberta desta director’s cut compreende mais cenas, que nos proporcionam uma visão cinematográfica mais alargada desse clássico da literatura. A não perder. 

A história todos conhecem, e as personagens também. Mas recapitulemos, para aqueles que, porventura, se terão esquecido de tamanha complexidade (porque o mundo de Os Maias é vasto, e porque João Botelho selecionou somente alguns dos “episódios” do livro, que são também os pontos-chave da obra): há, obviamente, a paixão principal da história, mas ainda vemos, com deleite, as polémicas conversas políticas e sociais entre Carlos da Maia, o seu amigo João da Ega e todos os seus ilustres comparsas, as rivalidades com Dâmaso Salcede e a sátira irónica e corrosiva à hierarquia de classes contemporânea ao autor.

Os Maias – Cenas da Vida Romântica é mais do que uma simples adaptação, e mais do que um filme que servirá apenas para qualquer estudante do ensino secundário que repudie o enorme prazer da leitura. Felizmente que isso não acontece porque, tal como outras grandes obras da literatura, protegidas por um status intocável (que mais foi criado pelos especialistas na matéria do que propriamente pelo material em si), esta parece ser, para muita gente, uma peça completamente impossível de ser transposta, com o devido respeito, para o grande ecrã.

Leiam a crítica integral no Espalha Factos.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Se chegaram até aqui e tiverem alguma mensagem, crítica, ou opinação a fazer em relação ao que acabaram de ler, façam o favor de o escrever aqui. A gerência agradece e responde (se não forem nenhum príncipe da Malásia que tem 10 milhões de dólares para me oferecer, claro).