A Viagem dos Cem Passos (The Hundred-Foot Journey) [2014]


O novo filme de Lasse Hallström é uma simpática, mas vulgar, incorreta e desinspirada abordagem ao mundo da cozinha, através de um conto de fadas desnecessário que, apesar disso, conseguimos ver com algum deleite.

Conta com produção de Oprah Winfrey e Steven Spielberg, e a história é assinada por Steven Knight, a partir de um suposto best-seller mundial. Mas talvez A Viagem dos Cem Passos não precisasse de tão altas individualidades a cooperarem na sua execução, porque o resultado final poderia muito bem ser da autoria de qualquer tarefeiro menor da indústria cinematográfica. É estranho ver o autor do incrível Locke a escrever um argumento com muitas pontas soltas e formatado, mas esse tipo de história adequa-se perfeitamente ao seu realizador, que volta a pegar em temas e construções narrativas básicas e muito lineares, como antigamente, onde o charme e o encanto assumem o papel principal. Mas afinal, quem ainda se lembra do banalíssimo Chocolate (que apenas vivia da química forçada entre Juliette Binoche e Johnny Depp) e do risível Uma Vida Inacabada (mais o seu urso em CGI)? 

Pois, é que A Viagem dos Cem Passos é mais do mesmo, só que se calhar, com ainda mais falhas. E o facto de, ao contrário do que indicia o título e a história, nem cem passos distanciam os dois restaurantes rivais (que competem ferozmente no início da trama e que depois acabam felizes para sempre no final), é apenas uma gota de água no meio de um oceano de clichés, estereótipos e facilitismos que vão ao encontro dos propósitos bonitinhos que se pretendem conjugar no desfecho.

Leiam a crítica integral no Espalha Factos.

Comentários