8 1/2 - Too Much Johnson – Orson Welles [1938]


Não é uma obra cinematográfica propriamente dita, sendo mais uma experiência inacabada e uma cópia de trabalho que mostra como faltava ainda muita coisa por terminar (em várias cenas são-nos apresentados vários takes alternativos, por exemplo). E Orson Welles não queria lançar Too Much Johnson como um filme próprio, mas estava pensado ser o acompanhamento visual para um espetáculo teatral que o futuro cineasta estava a preparar com a Mercury Theatre. Mas a peça, que era uma nova encenação de uma comédia de William Gillette, escrita em 1894, nunca chegou a ser verdadeiramente concretizada. Mas felizmente, resistiu às armadilhas do tempo este testemunho da criatividade de um autor e da vivacidade e talento dos atores que o acompanharam no seu percurso artístico (sendo Joseph Cotten o mais famoso de todos os outros membros do grupo Mercury).

Tudo sobre o que vi e senti no penúltimo dia da Festa do Cinema Italiano pode ser lido em mais uma crónica para o Espalha Factos.

Comentários