8 1/2 - L'Arbitro [2013] / Le Mani Sulla Città [1963] / L'Intrepido [2013]


Primeira longa metragem de Paolo Zucca, O Árbitro pega numa história trabalhada anteriormente numa curta metragem homónima, do mesmo realizador. A longa serve como um prólogo ao jogo da curta, contrapondo a difícil ascensão de um pequeno clube de futebol de uma aldeia italiana (que se reforça com a reentrada de um antigo jogador) com a carreira de um árbitro, Cruciani (Stefano Accorsi) que se deixa tentar pelos valores da corrupção. O paralelo que se faz entre estas duas histórias (e também com todas as pequenas subplots que nos vão sendo contadas, que desenvolvem a relação conflituosa entre os habitantes da pequena localidade com os seus rivais futebolísticos) marca não só uma crítica fenomenal ao sistema desportivo, mais dominado pelas influências que pelo talento dos jogadores, e cuja corrupção e batotice não acontece apenas nos grandes clubes.


Venceu o Leão de Ouro do Festival de Veneza em 1963, e agora regressa numa cópia digital impecavelmente restaurada pela Cineteca Nazionale de Roma, apresentada pela primeira vez no ano passado, no mesmo certame que atribuiu a Francesco Rosi o galardão máximo da competição. Le Mani Sulla Città foi o filme que substituiu Roma, Cidade Aberta, o título restaurado que estava inicialmente previsto ser exibido neste dia. Tal não foi possível, mas a organização fez uma ótima segunda escolha: enquanto que o conceituadíssimo filme de Roberto Rossellini é já mais conhecido no nosso país, o filme de Rosi é uma pérola algo escondida do Cinema italiano, mas que possui uma atualidade fortíssima que o público português deveria conhecer.


A mais recente obra de ficção do realizador de Lamerica e O Ladrão de Crianças foi incluída na secção Panorama, e vai voltar a ser exibida em Lisboa no dia 16 às 22 horas, e depois passará com o Festival por Coimbra e Porto. É talvez uma das histórias mais bonitas e invulgares desta edição do 8 1/2, não deixando de refletir, contudo, os problemas reais do presente. Antonio Albanese é Antonio Pane, um homem desempregado que ganha a vida… a substituir outras pessoas nos seus empregos, em dias que elas não podem exercer a sua profissão.

A 4.ª crónica das minhas peripécias pela Festa do Cinema Italiano pode ser lida na íntegra noEspalha Factos.

Comentários