A Costela de Adão (Adam's Rib) [1949]


«Adam's Rib» é uma comédia brilhante feita à medida dos formidáveis Katharine Hepburn e Spencer Tracy e da química de ambos quando contracenavam (este filme tem planos muito longos sem cortes para a época, porque o realizador deixou que as performances de ambos os atores fosse melhor aproveitada - o que resultou muito bem). George Cukor assina uma comédia romântica provocadora, que aborda a temática da "guerra dos sexos" através da história de um casal de advogados com opiniões opostas sobre um caso de uma esposa que, ao saber das infidelidades do marido, se decide a alvejá-lo gravemente com uma arma. Num misto de humor romântico e sarcástico e "courtroom drama", onde os dois advogados se põem um contra o outro (e, por momentos, esquecem o próprio caso em que estão a trabalhar), numa onda de tensões e confusões delirantes que fazem desta uma das peças mais interessantes da Idade de Ouro do Cinema Americano, uma das melhores comédias entre os clássicos sofisticados dos anos 30 e 40, e uma das obras mais detalhadas e engraçadas de Cukor.


Com maravilhosos diálogos e uma fenomenal direção de atores, «Adam's Rib» mostra os dois lados de uma questão aparentemente consensual. É difícil ficarmos apenas a concordar com um dos advogados - ambos estão corretos naquilo que estão a dizer, e as suas opiniões complementam-se. Mas vão ser a divisão entre ambos e as suas funções no julgamento que criam alguns dos momentos mais sólidos da trama, quando esta passa da comédia pura para a séria reflexão social (que em nada perdeu a atualidade). Enquanto Hepburn defende a acusada, lutando pela igualdade de direitos das mulheres, Tracy segue a Lei e não quer elaborar exceções para agradar às sensibilidades alheias, e tudo se mistura num filme de timing preciso, com uma ironia genial e uma sátira apaixonante à advocacia e às diferenças entre homens e mulheres. O talento de dois grande e imortais atores juntou-se à realização notável de George Cukor, numa época em que os filmes não tinham medo de ser criativos e não alienáveis, mesmo nos géneros mais procurados pelas massas. Uma das comédias mais surpreendentes da Golden Age que provoca questões sociais que são hoje pertinentes, e que não se fica apenas pela problemática da igualdade entre sexos. Uma maravilha deliciosa, que mostra o charme impecável que transmitia a formidável dupla Hepburn e Tracy.

★ ★ ★ ★ 

Comentários