segunda-feira, 2 de dezembro de 2013

Novidade do blog: Filmes em 60 segundos

Ao habituar-me a escrever críticas muito grandes, percebo que na maior parte dos casos fujo ao essencial e, pior ainda, retiro muito tempo que poderia investir em outras coisas (nomeadamente, a ver outros filmes). Por isso, decidi avançar com uma coisa chamada Filmes em 60 segundos. Isto consistirá em eu escrever críticas com esse número exato de palavras num só parágrafo, para não só eu poder restringir-me mais vezes ao essencial e poder dar mais uso à arte da síntese, como também será ótimo para muitos de vós, leitores, que com razão, não têm sempre paciência para ler textos gigantes sobre uma ou outra fita.

Continuarão a haver críticas mais extensas e sumarentas? Sim senhora, mas irei apenas dar espaço a essa maior extensão aos filmes que, a meu ver, têm de ter mais espaço para serem devidamente analisados. É que tenho vinte obras cinematográficas vistas que ainda não peguei para o blog, e às tantas isto começa a ser enervante, e desta maneira, poderei escrever sobre mais filmes em menos tempo. Por isso farei uma quantidade considerável de críticas pequenas daqui para a frente (o que me fará voltar aos tempos em que escrevia menos - mas tão mal como agora - e que do qual nunca mais voltei, porque comecei a escrever coisas cada vez mais longas) e deixar a "palha" apenas para certas ocasiões.

Começo esta novidade já daqui a pouco, com uma crítica a uma comédia de Mel Brooks!

EDIT (09/12/2013) - devido ao nome anterior desta rubrica, «Em 150 palavras», ser acidentalmente idêntico ao de uma iniciativa do site Laboratório de Séries (como me indicou por mail o seu administrador, a quem novamente agradeço a chamada de atenção), alterei o nome destas pequenas postadas de pescada sobre Cinema. Todo o conteúdo destas mini-críticas mantém-se idêntico aos anteriores posts pertencentes a esta rubrica.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Se chegaram até aqui e tiverem alguma mensagem, crítica, ou opinação a fazer em relação ao que acabaram de ler, façam o favor de o escrever aqui. A gerência agradece e responde (se não forem nenhum príncipe da Malásia que tem 10 milhões de dólares para me oferecer, claro).