A Propósito de Llewyn Davis (Inside Llewyn Davis) [2013]


Como todos os grandes títulos da filmografia dos notáveis irmãos Coen, «Inside Llewyn Davis» é um filme que nos deixa um vazio profundo e impercetível na alma, devido à maneira sempre pouco usual que a dupla de cineastas utiliza para contar as suas histórias, sempre tão cativantes e diferentes de tudo o que estamos habituados. Esta é uma narrativa que acaba onde começou, e que nos interroga sobre a rotina que Llewyn Davis toma e que nos acompanhamos passo a passo, e de como, talvez, o protagonista da fita nunca conseguirá sair da sua condição e conseguir tudo aquilo que ambiciona para o futuro. Tudo se repete, apesar dos sonhos quererem dar a entender que há sempre esperança de conseguirmos mudar as coisas. Mas para isso, a alteração prática da normalidade do quotidiano é a chave essencial. Os Coen fazem aqui o retrato de uma geração, e do que é que essa geração queria fazer no mundo da música: numa era de zés-ninguém, onde talentos explodem a cada esquina, são poucos os que conseguem realmente sobreviver e impor-se na indústria discográfica. 


Estamos nos primeiros anos da década de 60 do século passado, e Llewyn Davis (uma incrível composição de Oscar Isaac) é um cantautor de folk rock, ao jeito do que tornaria Bob Dylan um ícone universal (aliás, até o podemos ver e ouvir numa pequena cena). Ele busca o êxito que nunca atingiu nem conheceu durante o seu percurso artístico até então, mas talvez Llewyn Davis nunca conseguirá alcançar o patamar da fama por causa do seu caráter. «Inside Llewyn Davis» é um filme extremamente interessante e comovente até, pegando nas coisas mais simples como só os Coen sabem fazer, adicionando o seu peculiar humor negro, sarcástico e perspicaz, e um rol de personagens deliciosas, interpretadas pelos formidáveis atores tão bem escolhidos pelos dois realizadores (desde o repetente John Goodman - o secundário mais hilariante da fita - a Justin Timberlake, passando por Carey Mulligan e Garrett Hudlund), e onde se inclui um "ator" imprevisto, um gato extremamente caricato e que compõe a narrativa com um outro espírito especial. Há ainda uma banda sonora espetacular, com temas da autoria dos Coen, Isaac e Timberlake, que se mistura perfeitamente com o drama e a comédia, conjugados para resultarem nessa mistela de sensações estranhas e fabulosas que «Inside Llewyn Davis» nos proporciona. É mais uma prova da versatilidade desta dupla de cineastas, e é mesmo um filme a não perder.

* * * * 1/2

Comentários

  1. Este filme conquistou-me e tem-me continuado a conquistar a cada dia que passa. Certamente um dos melhores de 2013, com uma magia muito especial.

    Cumprimentos cinéfilos, Rui. E Feliz Natal! :D

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É mesmo um grande filme Inês! Feliz Natal também para ti e para os teus! :D

      Eliminar
  2. Estou curiosa para ver.

    ResponderEliminar
  3. 4*
    Finalmente vi "A Propósito de Llewyn Davis" e gostei bastante do que vi e ouvi neste belo filme, recomendo que vejam.
    "Inside Llewyn Davis" tem um plot interessante e bem construído, mas peca por ser um filme demasiado grande.
    Convido-vos a ler a análise completa em http://osfilmesdefredericodaniel.blogspot.pt/2015/07/a-proposito-de-llewyn-davis.html
    Cumprimentos, Frederico Daniel...

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Se chegaram até aqui e tiverem alguma mensagem, crítica, ou opinação a fazer em relação ao que acabaram de ler, façam o favor de o escrever aqui. A gerência agradece e responde (se não forem nenhum príncipe da Malásia que tem 10 milhões de dólares para me oferecer, claro).