O jornalismo não é bem tratado por um canal de jornalismo


A SIC Notícias está a passar, às duas da manhã, um dos maiores guias de estudo do jornalismo televisivo: as entrevistas lendárias de Frost a Richard Nixon. Não poderiam, por um dia, alterar o horário da «Quadratura do Círculo» ou do «Tempo Extra» para dar, a uma hora decente, este programa que, ao contrário dos dois mencionados, tem grande qualidade? É irónico que um canal de notícias trate as suas referências desta maneira. Talvez o director de programas da SIC Notícias ache o Rui Santos ou o Pacheco Pereira os gurus e criadores do jornalismo moderno...

Comentários

  1. é de facto , um sinal dos dias de hoje. por outro lado, a verdade é que a possibilidade que os operadores de tv nos dão de fazer restart tv possibilita que vejamos esse e qualquer conteúdo a qualquer hora. muito sinceramente, no espectro da televisão que passa em Portugal, não estou a par dos horários das primeiras emissões. este é mais um caso que se passasse a uma hora decente (como deveria) muito provavelmente não conseguiria ver a essa hora, mas há que explorar as funcionalidades que os operadores nos dão, se tivermos box claro... mas para dizer que concordo, que é aberrante que o Rui Santos e o Pacheco Pereira entre outros ocupem um espaço semanal de prime time veiculando as suas opiniões que acabam por ter um grande peso na opinião publica, mas que no fundo não passam de opiniões pessoais e subjectivas. no caso desta entrevista, em que temos ali um documento objectivo da realidade, é remetido para um horário muito infeliz. é a televisão que temos ao serviço de valores muito diferentes daqueles que deveriam assumir. abr,

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado Carlos pelo amável comentário. Na verdade é de louvar a invenção da restart TV e das gravações automáticas: hoje vi a primeira parte desta entrevista sem ter precisado de ficar segunda feira a altas horas da noite. Ontem, com insónias, liguei a TV e reparei que estava a dar isto na SIC Notícias às duas... enfim, é o que temos.

      Um Abraço,

      Rui Alves de Sousa

      Eliminar

Enviar um comentário

Se chegaram até aqui e tiverem alguma mensagem, crítica, ou opinação a fazer em relação ao que acabaram de ler, façam o favor de o escrever aqui. A gerência agradece e responde (se não forem nenhum príncipe da Malásia que tem 10 milhões de dólares para me oferecer, claro).