segunda-feira, 12 de agosto de 2013

Nascido Para Matar (Full Metal Jacket) [1987]


Quando Stanley Kubrick pegou na Guerra do Vietname e fez um filme sobre ela, o mesmo só poderia ser assim, inigualável. «Nascido Para Matar» (o significado do título é intraduzível para português - pelo menos, em três palavras apenas) é mais uma prova de que os filmes de Kubrick têm uma intensidade especial, única e inimitável, tal como afirmou Martin Scorsese sobre este realizador ("ver um filme de Kubrick é ver dez dos outros realizadores). O filme é um retrato, realista ou nem tanto, sobre a transformação que o treino dos soldados e a participação no conflito propriamente dito tem nas suas vidas e nas suas mentalidades. «Nascido Para Matar» é o retrato dos efeitos do Vietname nas pessoas que nele colaboraram, pelos olhos de um dos seus participantes, "Joker" Davis (Matthew Modine), um indivíduo que deve a sua alcunha pelo seu humor e boa disposição (além de gostar de imitar John Wayne), em duas partes distintas: nos treinos para o combate, onde os recrutados são submetidos às ordens de um sargento que gosta muito de berrar insultos aos seus subordinados, e no cenário de guerra, onde "Joker" verá com os seus próprios olhos, enquanto jornalista do «Stars and Stripes», a publicação periódica do exército (a imprensa, uma faceta pouco vista em filmes sobre a guerra do Vietname, que exerce, tal como a propaganda, um poderoso papel nas coisas que passam do conflito para o cidadão comum, que muitas vezes é vítima de lavagens ao cérebro bem disfarçadas), os horrores e as consequências da guerra. Muitos transformam-se em autênticas máquinas de matar, não conseguindo perceber, contudo, a razão para todo aquele caos e para todo aquele drama. Em «Nascido Para Matar» mostram-se os excessos do Vietname numa mistura explosiva com a inventividade cinematográfica de Kubrick, que introduziu uma banda sonora repleta de grandes êxitos dos anos 50/60 no meio de cenas que ficam ainda mais intensas pela música a que lhes foi colada (a cena onde se houve «Surfin' Bird» - mais tarde parodiada, com grande sucesso, pela série animada «Family Guy» - é um excelente exemplo disso). Não existindo mais nada para acrescentar, porque tal como outros filmes de Kubrick, há mais para ver do que para escrever sobre eles, termino afirmando que «Nascido Para Matar» é um fantástico filme de Guerra e o testemunho de um realizador versátil (e que fez de tudo nas Imagens em Movimento - desde comédia a ficção científica) neste género cinematográfico.

* * * * *

Sem comentários:

Enviar um comentário

Se chegaram até aqui e tiverem alguma mensagem, crítica, ou opinação a fazer em relação ao que acabaram de ler, façam o favor de o escrever aqui. A gerência agradece e responde (se não forem nenhum príncipe da Malásia que tem 10 milhões de dólares para me oferecer, claro).