sábado, 31 de agosto de 2013

A comédia (bélica) e a vida


DR STRANGELOVE, de Stanley Kubrick - um filme que está cada vez mais actual. E apesar de ser uma louca sátira, o seu lado alarmante, originalmente crítico para a Guerra Fria, continua assustador hoje. Não consigo deixar de pensar neste filme, e nas cenas que se passam na "ONU" do mesmo, onde se debate o risco de cair uma bomba que destruirá toda a Humanidade, ao ler, ver e ouvir todas estas trágicas notícias sobre a Síria. Esperemos que a realidade não acabe da mesma maneira que a ficção...

2 comentários:

  1. zé da Adega4/9/13 00:19

    Epá Rui! Gosto deste filme.

    Não fazes um texto maiorzinho?

    Gostaria de ler um texto maior escrito por ti...

    Aliás, ante de me teres sugerido aquela homenagem ao cinema soviético, pelo Kubrick, do filme passado na guerra napoleónica (não me consigo lembrar do nome), o meu filme preferido do Kubrick era este.

    Mas atenção que eu não sou fã do Kubrick e até me chateia essa mania do elitismo e modas acerca dele.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Zé, talvez um dia destes, até porque revi o filme há cerca de um mês, mas ainda não tenho "vontade". Tenho uns quinze filmes para criticar e tenho feito pelo que me apetece mais escrever xp

      Eu acho que o Kubrick não é um realizador de elites (a maior parte das pessoas que acham isso são os que estão obcecados com o 2001 - que nem é, para mim, o seu melhor filme), mas sim o mais versátil de sempre. Ele tem fitas que dão para todos os gostos, desde guerra («Dr Strangelove» e vê também «Horizontes de Glória» e «Nascido Para Matar», valem mesmo a pena), ficção científica («2001» e «Laranja Mecânica» - este o meu preferido de todos), História (o «Barry Lyndon», que é o que te sugeri) e terror e comédia! Kubrick é como o Hitchcock, um realizador das audiências. Pena que os críticos, que só lhes dão mais atenção agora, tendem a "elitizá-los", quando eles não têm essa função. Explora mais o Kubrick, há muito para descobrir! ;)

      Um Abraço,

      Rui

      Eliminar

Se chegaram até aqui e tiverem alguma mensagem, crítica, ou opinação a fazer em relação ao que acabaram de ler, façam o favor de o escrever aqui. A gerência agradece e responde (se não forem nenhum príncipe da Malásia que tem 10 milhões de dólares para me oferecer, claro).