Os portugueses gostam de opinar


Ontem ocorreram mais duas sessões de representação do teatro. O público aplaudiu, entusiasmadíssimo, o trabalho que este grupo, do qual eu faço parte, teve em levar à cena a peça «ÀS ESCURAS». Sinceramente, de todas as (muitas) pessoas que vieram falar comigo sobre a peça, nenhuma delas deu um feedback negativo sobre os trinta minutos de teatro que puderam assistir na Sala Polivalente do Rainha Dona Leonor. 

Contudo, deu-se um caso insólito: uma professora da escola decidiu dar o excelente exemplo de, como estava a detestar a peça, de sair do meio da mesma e, em vez de ser discreta e ir pela porta das traseiras da sala, preferiu dar show e fazer a sua saída pela porta principal, causando embaraço a todos nós, pequenos artistas que estávamos a mostrar ao público o nosso trabalho que tanto "sangue, suor e lágrimas" nos custou a fazer. 

O que acho engraçado é que essa dita professora fez um juízo de valor sobre a peça sem ter visto metade dela... É esta a tendência de muitos portugueses: maldizerem sobre as coisas não as conhecendo devidamente bem. Toda a malta gosta de opinar, para não parecer "ignorante". Mas no fundo, são apenas os que fazem o "sacrifício" de descobrir as coisas até ao fim que não podem ser considerados ignorantes. Há quem adore dizer mal do que não sabe e, mais do que isso, armar-se em "ator" da "peça" dando um pequeno show onde mostra o seu comentário cultural, qual Marcelo Rebelo de Sousa (sem caché pago)...

É interessante também notar que esta dita professora não percebeu que, sendo assim, deu um mau exemplo aos seus alunos: sair das coisas a meio sem justificação é algo que a sociedade adora, meninos! 

Porque se eu sair a meio de uma aula dessa dita professora, justificando-me apenas que não estou a gostar da mesma, então também estou cheio de razão. 

Oscar Wilde dizia: "A educação é admirável, no entanto, é bom recordar, que nada que valha a pena pode ser ensinado.". E neste caso, as regras de boa educação em sociedade não se aprendem na escola. Mas os mais velhos, e neste caso, os professores, têm de dar o exemplo!

Nota: Este foi um pequeno desabafo cronístico que publiquei ontem na minha página de facebook. Teve uma acentuada aderência, e publico-o hoje no blog, com apenas algumas correções linguísticas e gramaticais que me escaparam durante a escrita. Ainda ficaram muitos erros, aposto. Eu é que, como sou bastante inteligente, não os vi...

Comentários