Rui Responde - o vigésimo

Mais três perguntas naquela que é a edição n.º 20 do Rui Responde. Já sabem, para enviarem as vossas questões basta enviarem um comentário para a caixa apropriada para os mesmos neste post, ou então para o mail ruialvesdesousa@hotmail.com. E é com mais três perguntas do André Pereira (xii que este nunca mais se cala!) que atingimos a pergunta n.º 60. Para quem duvidava que eu, afinal, até sou uma pessoa interessante o suficiente para me fazerem seis dezenas de perguntas... embrulhem! 
Cá vamos.

58.ª pergunta
És um extraterrestre? Em caso de resposta negativa, acreditas neles?

Estás à espera de um "sim", não estás? Com esta pergunta, apetecia-te mesmo que eu fizesse aqui uma coboiada qualquer envolvendo ET's, não era, meu rapaz? Pois bem, enganas-te. Não, não sou um extraterrestre. Ou aliás, até posso ser para um indivíduo de outro planeta, mas continuando... e se eu fosse, não poderia acreditar na existência deles? Só se disser não? Mas pronto, não vou estar aqui a demonstrar a minha indignação em relação a (mais uma) pergunta mal formulada pela tua pessoa. Acredito que possa haver vida noutros planetas, mas não necessariamente os bichos feios, reptilantes e destruidores da galáxia que o imaginário popular criou ao longo das décadas. Devem ser gente como nós até, com as suas preocupações e tal. Mas sinceramente, nunca pensei muito nisso. Mas se algum dia, senhores extraterrestres, quiserem passar férias cá a Portugal, deixo aqui o apelo: avisem aqui o Ruizinho, pode ser? Não me admira que alguém tenha vindo parar a este blog, por um terrível engano, numa galáxia muito distante. Mais vale prevenir que remediar, e por isso ficam aqui as minhas palavras de simpatia para com os (possíveis) alienígenas que existam no Universo. Até se calhar, em caso de guerra interplanetária, eu possa sair beneficiado por me fazer de amigo deles. É sempre bom ter contactos.

59.ª pergunta
Se pudesses viajar no tempo para qualquer altura, onde viajarias e porquê?

Como de costume, os pingos de picuinhice e neurotismo que me correm o sangue, não me fizeram conseguir tomar atenção à pergunta da primeira vez que a li, devido ao erro gramatical que nela existe. Ai se eu quero viajar no tempo para qualquer altura, vou viajar para "onde", menino André? Santa paciência, eu sei que também não sou grande "pro" em língua portuguesa, mas vá, não precisam de descer ao meu nível na escrita das vossas perguntas... 'tá bem? Respondendo à tua questão: tenho curiosidade em viajar para o dia 15 de maio de 1995, ou seja, a data do meu nascimento. E avisar a mim próprio, ainda recém-nascido, de que iria ser uma besta. Poderia ser um conselho útil para alterar a linha espacio-paradoxo-temporalo-coiso para melhor, pelo menos para a minha pessoa. Se depois ia estragar a vida a centenas de portugueses por causa dos meus atos irresponsáveis, ui... peço desde já as minhas desculpas. Tenho medo das viagens no tempo, até. Mas se calhar até gostava de ir ao século XX, em qualquer ano. Pelo menos, desde a ascensão de Chaplin no cinema. Mas também podia causar estragos. Portanto, viagens no tempo, é para esquecer.

60.ª pergunta
Gostas de lagartixas?

Epá mas que raio... que pergunta é esta... não estou em mim! Se gosto de lagartixas?! Que imaginação, hein, senhor André? Bom, uma questão que, como vimos, é importante e singular para o rumo da Humanidade, é esta que tu fizeste. Mas pronto, estou com algum soninho e cansaço, o corpo dormente e tal, e por isso não vou meter mais rodeios nestas respostas e vou direto à resposta: Não gosto nem desgosto dessa bicharada, pronto. E é tudo. As tuas perguntas, principalmente esta, dão sempre para um bom tema de conversa, não é?

E cá despeço esta rubrica, por mais uma semana. Com a vossa licença!

Comentários