quinta-feira, 28 de março de 2013

Rui Responde n.º 18

Aqui está, como prometida, mais uma edição do agora permanente (isto é, enquanto tiver perguntas) do Rui Responde. E hoje acabo, momentaneamente (porque depois ela mandou mais uma, mas vou seguir a ordem de chegada das questões), com as perguntas da Rita Gonçalves e começo a responder à "fornalha" enviada pelo André Pereira. E se por acaso tiverem alguma questão que gostassem que este besta opinasse sobre, basta enviarem-na para a caixa de comentários deste post ou para o mail ruialvesdesousa@hotmail.com. 

52.ª pergunta
Diz-me uma coisa sem a qual não consigas viver - não vale escolher o oxigénio. 
Rita Gonçalves

Bom Rita, a resposta é simples: comida e bebida. E a literatura, e o cinema, e a cultura em geral. E o blog, também. É impossível nomear uma coisa só. Mas entre as que, literalmente, não conseguia viver, apostava nas duas primeiras. Tenho uma ideia que, nesse aspeto de sobrevivência, são mais importantes que as outras. Mas num aspeto mais filosófico, é tudo o que vem a seguir.

53.ª pergunta
Se tivesses 18 anos e pudesses votar, em que partido votavas se não em branco?
André Pereira

Hum... that's a tricky question. Principalmente porque, agora, estou a dois meses de fazer 18 anos (estas perguntas foram ainda enviadas em 2012...). Neste momento não me sinto com algum particular interesse por algum partido em especial. Eu não me ligo por partidos, mas sim por pessoas. É diferente. E infelizmente, entre os poucos que poderia "confiar", não encontro razões para tal. So... quando chegar a altura de votar, penso melhor nisso. Agora não, 'tá bem?

54.ª pergunta
Se pudesses escolher entre viajar no futuro, ter uma espada laser (aka sabre de luz), teres poderes de telepatia e controlo mental, ou um Porsche topo de gama, o que escolherias?
André Pereira

Primeiro introduzo a resposta a esta pergunta com uma outra pergunta: Oh André, mas que diabo andaste a tomar quando escreveste estas questões?
Posto isto, respondo: viajar no futuro era um pouco chato. Como há aquela coisa de "se tocares nalguma coisa do passado, muda o presente e o futuro", tinha medo de estragar qualquer coisa. Mesmo que seja para viajar no futuro. Isso acabar-me-ia por mudar a perspetiva que eu teria de mim próprio no presente. E para isso, na. Mais vale criar a expectativa do Amanhã através de mim próprio e sem ir ver as "soluções". Uma espada laser era capaz de causar sarilho porque ainda decepava alguém sem me dar conta (sou distraído). Ter poderes de telepatia e controlo mental, hmmm... acho que acabaria por me subir o poder à cabeça e quereria dominar o Mundo, portanto, não. E o Porsche... ainda nem tenho a carta, homem, nem estou a pensar em tê-la em breve!, mas era capaz de o escolher, só para dar aquele ar de "eh pá e tal tenho um Porsche", e aí seguiria uma vida de luxo e glamour. Que era capaz de ser chata também, mas é a vida. E depois deixava-me cair nalguma armadilha da vida e assim, como nos filmes. Mas um Porsche é um Porsche! Para a fotografia fica sempre bem!

Até p'ra semana! 

Sem comentários:

Enviar um comentário

Se chegaram até aqui e tiverem alguma mensagem, crítica, ou opinação a fazer em relação ao que acabaram de ler, façam o favor de o escrever aqui. A gerência agradece e responde (se não forem nenhum príncipe da Malásia que tem 10 milhões de dólares para me oferecer, claro).