sexta-feira, 22 de março de 2013

Ou Tudo ou Nada (The Full Monty)


NOTA: Esta crítica é pequena porque, além de andar a acumular filmes para criticar aqui no blog, penso que neste caso consegui dizer o essencial nestas poucas linhas que escrevi.

«The Full Monty» é uma comédia que não dá muito azo para se escrever ou analisar muito sobre si mesma, porque não é esse o seu objetivo. É um triunfo do humor britânico sobre os blockbusters americanos, se bem que com algumas cedências. Cinema comercial vindo da Europa e que se tornou um fenómeno noutras partes do globo. E, meus amigos, em parte, não acredito que vi isto. Tornou-se, em certa medida, um guilty pleasure, pela temática que aborda e a forma como a retrata. Mas não há que evitar, é um filme engraçado! Parte da premissa vulgar de muitas comédias ditas comerciais: uma personagem principal que está na mó de baixo, cheia de problemas por resolver, e que é um zé-ninguém - e já se está mesmo a ver em que é que isto vai dar: ele tem uma ideia luminosa, tenta concretizá-la, e depois de muito trabalho, lá consegue resolver os problemas e ser feliz. Sim, sabemos como vai acabar «The Full Monty», mas não é por isso que deixa de ser uma boa comédia, que vale a pena ver pela subtileza do seu argumento e pelas boas interpretações dos seus atores (destaco principalmente os Grandes Robert Carlyle e Tom Wilkinson). É um filme cómico humano, porque as personagens não se tratam de meras alegorias humorísticas da vida quotidiana: são pessoas, (quase) reais, e com as quais nos podemos mais ou menos identificar, e é também uma comédia atrevida, ao jeito bem característico do humor britânico, mas que aqui é um pouco afetado (não em demasia, felizmente) pela "americanização" da arte de fazer rir. «The Full Monty» possui alguns picos de originalidade, não pegando nos temas "tabu" que utiliza na sua narrativa de uma forma tão rudimentar e sem graça como, por exemplo, na saga (interminável) das comédias para "adolescentes" «American Pie». O filme tem algumas coisas vulgares e mesmo "clichés" lá pelo meio, é verdade, mas vê-se muito bem. E é totalmente indicada para se passar um bom bocado a desanuviar a cabeça, sem chegar ao limite de "vamos-estourar-o-cérebro-com-porcarias". «The Full Monty» é uma comédia sobre pessoas normais que arriscam numa proposta totalmente anormal (pelo menos não é tão natural vermos uma coisa destas a suceder-se em Cinema!), tem bons momentos cómicos e uma ou outra cena verdadeiramente cinematográfica. Não é só de obras-primas ou de filmes excelentes (há uma diferença entre estes dois) que se faz o Cinema. E ainda bem, porque senão, não poderiam existir filmes engraçados e divertidos como «The Full Monty».

* * * * 

Sem comentários:

Enviar um comentário

Se chegaram até aqui e tiverem alguma mensagem, crítica, ou opinação a fazer em relação ao que acabaram de ler, façam o favor de o escrever aqui. A gerência agradece e responde (se não forem nenhum príncipe da Malásia que tem 10 milhões de dólares para me oferecer, claro).