quinta-feira, 21 de março de 2013

À Vossa Vontade: Shakespeare volta ao D. Maria II


«À Vossa Vontade» é uma peça cómica de William Shakespeare que há pouco mais de dois séculos não era representada em Portugal. Felizmente, e em boa hora, o Teatro Nacional D. Maria II decidiu resgatar a obra de Shakespeare e a transpô-la para o palco, numa encenação hilariante e surpreendente, que este ser que vos escreve pôde assistir ao Ensaio Geral na noite de ontem. E é interessante como um texto com mais de quatrocentos anos consegue ser usado com tanta graça e tanta alegria para nós, pessoas do século XXI. O enredo e as personagens de Shakespeare permanecem atuais, quer nas críticas que fazem às relações humanas e ao amor, quer pelas situações em que se envolvem e se conhecem umas às outras. Uma trama inteligente e divertida que, apesar de sabermos como vai acabar (é inevitável), não é isso que interessa ao desenrolar da peça, que vale por cada momento e por cada diálogo, muito bem pensado, construído e adaptado para português de uma maneira impecável e que em nada descura o original. Um elenco formidável, onde todos os atores marcam a peça com desempenhos memoráveis (até os dois estagiários!), e digo-vos: nunca ri tanto numa peça de teatro como com «À Vossa Vontade». É, seguramente, uma das melhores obras que vi em cena no Dona Maria II, nestes Ensaios Gerais a que tenho tido oportunidade de assistir, e que aconselho a todos. Um hino à vida e ao amor, no estilo de Shakespeare, e com que nós nos conseguimos identificar tão bem...

Sem comentários:

Enviar um comentário

Se chegaram até aqui e tiverem alguma mensagem, crítica, ou opinação a fazer em relação ao que acabaram de ler, façam o favor de o escrever aqui. A gerência agradece e responde (se não forem nenhum príncipe da Malásia que tem 10 milhões de dólares para me oferecer, claro).