quarta-feira, 27 de fevereiro de 2013

O Humorista: proposta televisiva inovadora e vencedora


«O Humorista» é uma das apostas mais relevantes do panorama televisivo da atualidade. Numa quase-homenagem a um género cómico que a série «The Office» ajudou a criar (sendo o personagem João Cunha muito baseado no David Brent do programa de Ricky Gervais e Stephen Merchant), esta série segue o percurso "artístico" de um comediante detestável, execrável, convencido, e praticamente sem jeito nenhum para a comédia, apesar de se achar um génio e que todos os aspirantes a comediantes devem ir a um espetáculo seu se quiserem perceber a genialidade da sua arte.

Numa mistura de realidade e ficção que ultrapassa a comédia de embaraço de «The Office» (que se trata puramente de encenação. Da boa, mas é encenação), «O Humorista» é relatado em género de documentário, em seis episódios de vinte e cinco minutos cada (todos eles estão disponíveis integralmente no youtube, além de serem alvo de valentes reposições da SIC Radical), que nos mostra as reações de João Cunha, "o" Humorista, quando trabalha com outros comediantes ou profissionais das artes de palco, sentindo-se sempre superior em relação aos outros. Já os outros entrevistados, têm sempre reações de surpresa e de humilhação perante aquele miserável ser. Contudo, a maioria não sabe que está diante de uma personagem, criada pelo próprio João Cunha e por Jel (que é co-autor da série e a realiza), e por isso as suas reações são mais autênticas e poucas vezes nos percebemos verdadeiramente onde acaba o real e onde se inicia a encenação, ou vice-versa.
«O Humorista» não é uma série para se rir às gargalhadas, mas para seguir o percurso embaraçoso de um pseudo-stand up comedian que acha que tem o Mundo a seus pés. Mas as desilusões são constantes tanto para ele como para nós, enquanto espectadores e seguidores muito próximos do seu percurso artístico, e mesmo assim, ele não deixa de acreditar no seu estado de semi-divindade em relação aos seus outros colegas de profissão. E por isso é que esta personagem e esta série é tão interessante, tão inovadora na televisão portuguesa, e tão genial. E parece que finalmente a SIC Radical está a regressar em força aos velhos tempos em que lançava grandes conceitos televisivos no nosso país... Finalmente!

1 comentário:

  1. Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

    ResponderEliminar

Se chegaram até aqui e tiverem alguma mensagem, crítica, ou opinação a fazer em relação ao que acabaram de ler, façam o favor de o escrever aqui. A gerência agradece e responde (se não forem nenhum príncipe da Malásia que tem 10 milhões de dólares para me oferecer, claro).