quinta-feira, 11 de outubro de 2012

O Meu Pé Esquerdo (Ou: Estou coxo e não é nada agradável)


Desde a manhã desta quinta feira que a minha mente está algo ocupada com a descoberta da cura para uma "coxidão" que me apareceu logo que acordei e pus os pés fora da cama. O meu pé esquerdo está dorido. Dói-me a andar e faz-me parecer ter muitos mais anos em cima quando ando na rua (e o que as pessoas devem ter pensado daquele rapazinho, coitadito, ali a andar desalmadamente mal...). Talvez isto seja reflexo do tropeção que dei ontem ao sair da escola. Só tinha ferido o cotovelo esquerdo (é sempre tudo do lado esquerdo, já repararam?) e mal caí ao chão, levantei-me, recompus-me e fui para casa na maior das calmas. Mas com o passar das horas o efeito da queda deve ter-se feito sentir com esta "coxidão" do pé esquerdo. Ontem à noite notei que sentia qualquer coisa estranha no pé, mas pensei que fosse algo passageiro, e afinal, tufas!, acordo de manhã a precisar de uma bengala para me segurar, qual Manoel de Oliveira mais novo. 

Não sei porque me lembrei do famoso pé dos Monty Python (aliás, nem sei se se trata de um pé esquerdo, mas continuando...), mas esta questão está a abananar-me a cabeça. Qual fome e miséria no mundo, qual crise económica e política em Portugal. O que interessa é o pé esquerdo do "piqueno" Rui Alexandre de Júdice Alves de Sousa! Aliás, com tanto tema tão ridículo que é sujeito a debate em muitos programas televisivos, talvez o meu pézinho desse mais algum interesse e um tema de conversa mais acutilante aos participantes dessas tertúlias da caixinha mágica.

OK, é melhor parar com as parvoíces (sempre as parvoíces... será que se o hemisfério esquerdo do meu cérebro também tiver uma "avaria" eu torno-me num indivíduo mais sério?), e vou mas é constatar que acabei de fazer um pequeno texto sobre o problema que o meu pé esquerdo está a enfrentar.

Sim, já constatei isso, e é melhor parar por aqui. Não porque está na hora de terminar o post, mas porque vou jantar. E quiçá, depois irei tentar a última "cura" que, num pequeno vox pop feito junto de amigos e familiares, me falta testar para ver se faz efeito: pôr gelo no pézito. Ora com licença, vamos lá sair da cadeira e andar até à sala de jantar. Com sorte chego lá daqui a cinco minutos, se for já.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Se chegaram até aqui e tiverem alguma mensagem, crítica, ou opinação a fazer em relação ao que acabaram de ler, façam o favor de o escrever aqui. A gerência agradece e responde (se não forem nenhum príncipe da Malásia que tem 10 milhões de dólares para me oferecer, claro).