domingo, 14 de outubro de 2012

Boardwalk Empire - Império da Corrupção


«Boardwalk Empire» é, muito provavelmente, uma das séries televisivas mais "cinematográficas" da atualidade, ao lado de «Mad Men» e «Breaking Bad». Os planos de câmara, a ação dos episódios e as interpretações do elenco comprovam esta minha teoria de que cada vez mais a televisão se está a aproximar da Sétima Arte em termos de produção (mas se isto é bom ou mau, já não posso afirmar. Veremos com o desenrolar do tempo...). Estive para ver esta série há muito tempo e só agora é que a comecei, seriamente, a acompanhar desde o início, através das inúmeras reposições do canal de cabo AXN Black.

«Boardwalk Empire» contém um grande trunfo que mostra a competência e a qualidade com que é feita: falo-vos do Senhor Martin Scorsese, envolvido na série como produtor executivo, tendo realizado também o episódio-piloto da mesma. E é inevitável repararmos que há um olhar "scorsesiano" na ação da série, nas falas das personagens e na violência dos seus atos (é verdade, já me ia esquecendo, esta série não é aconselhável para as mentes mais sensíveis...). Encontro muitas semelhanças entre «Boardwalk Empire» e os seus grandes filmes sobre a máfia como «Tudo Bons Rapazes», «Casino» e o quadriplamente oscarizado «The Departed - Entre Inimigos» (que deu, finalmente!, a estatueta dourada ao já lendário cineasta de origem siciliana), só com a diferença de que a ação desta série se situa nos anos 20, durante a implementação da Lei Seca.

Conhecemos Nucky Thompson (interpretado por Steve Buscemi, um dos muitos grandes atores da tela maiorzita a migrarem para a mais "piquena"), um gangster que está metido no negócio da venda ilegal de álcool. Há espaço também para a interação com figuras históricas do mundo do crime, como é o caso de "Lucky" Luciano ou Al Capone. A série retrata de uma maneira muito viva e muito realista uma época que marcou uma viragem na História dos EUA. Aliás, a qualidade de «Boardwalk Empire» está estampada na estação televisiva onde é transmitida: HBO, responsável por muitas das melhores séries do século XXI e que não falhou, mais uma vez. Uma coisa interessante nas séries da HBO é que cada episódio tem sempre cerca de sessenta minutos (ou mais). E os episódios estão sempre estruturados de uma maneira diferente da efetuada pelas outras televisões. As histórias estão mais fluídas, mais desenvolvidas, e cada minuto é muito bem aproveitado e pensado. E «Boardwalk Empire» revela isso mesmo, e também de que é um dos grandes dramas televisivos da atualidade e que não deixa ninguém indiferente. Aconselhável para os fãs de Martin Scorsese ou dos trabalhos anteriores do criador desta série, Terrence Winter, «Boardwalk Empire» é uma grande série que alia factos históricos ao melhor entretenimento, inteligente, audaz e perspicaz, que a HBO tem habituado os seus espetadores nos últimos anos. Sem dúvida, uma série a ver!

Sem comentários:

Enviar um comentário

Se chegaram até aqui e tiverem alguma mensagem, crítica, ou opinação a fazer em relação ao que acabaram de ler, façam o favor de o escrever aqui. A gerência agradece e responde (se não forem nenhum príncipe da Malásia que tem 10 milhões de dólares para me oferecer, claro).