quarta-feira, 8 de agosto de 2012

O insustentável peso da comunicação social: A vitória de Portugal e a reação dos media


Parece que finalmente, Portugal conseguiu conquistar uma medalha nos Jogos Olímpicos. A modalidade foi a de canoagem e, como certamente devereis saber, foi uma medalha de prata, conquista que deve ser reconhecida como merecida pelos nossos atletas tugas. 
A vitória foi motivo de júbilo para uns (um júbilo que se está a revelar algo exagerado, mas é como tudo nesta vida) e de idiotice para outros. E quando falo da idiotice, refiro-me, claro, à nossa comunicação social. E porquê? Por uma razão muito simples: jornais, rádio, televisão e internet aproveitaram-se do facto de Portugal ter ganho essa almejada medalhinha prateada para criar, qual grupo de psicopatas do jornalismo, uma série de notícias que envolvessem esta vitória, ou o maior número possível de "sumo" que se poderia tirar desta "laranja".
Ou seja, depois de toda a nação ter ficado ao corrente da notícia da nossa vitória em Londres, começou a enchente de notícias que de informação pouco ou nada têm. A história de vida dos atletas, entrevista aos familiares dos atletas (e um deles, pelo que eu vi, poderia ser considerado o "Elvis Presley" português - mas com bigode), o que é que os atletas gostam de fazer, o facebook dos atletas, etc, etc, etc... 
Por um lado, esta cena toda (que se mostra comum nas notícias nacionais, já vi isto acontecer pelo menos numa dúzia de ocasiões distintas) fez-me recordar um filme que vi há uns meses (e cuja crítica publiquei no blog), que se chama «Flags Of Our Fathers - As Bandeiras dos Nossos Pais». A semelhança desta fita com a situação que apresento neste post é que, em ambos os casos, os media ajudam a distorcer as coisas e a dar extrema popularidade a um acontecimento (que não recebeu o tratamento que merecia), deixando com que, pouco tempo depois, caia vertiginosamente no esquecimento da opinião pública.
Não haveria outras maneiras de mostrar o orgulho que os portugueses têm deste pequeno feito (que, se formos a ver bem, só nos podemos orgulhar de acontecimentos desta pequenez)? Mais, não haveria outra maneira de dar espaço a toda a informação, ocupando mais com as notícias mais importantes e não dando tanta importância a esta (que por ser um caso de patriotismo e que dá garantidamente audiências, foi abusivamente utilizado)? Mais ainda, será que algum dia os serviços informativos perceberão o que é realmente uma notícia?
Disto tenho dúvidas. É mais importante ouvir os políticos a queixarem-se uns dos outros, o Otelo a dizer uns bitaites para a TV, e depois meia hora seguidinha dedicada a todos os clubes de futebol nacionais, desde o Benfica até ao Merdaleja Sport Club. E depois, lá pelo meio, lembrarem-se que estão também a decorrer os Jogos Olímpicos, dando mais espaço para este evento desportivo por causa da medalha conquistada, porque assim nos voltamos a lembrar do orgulho que temos da nossa pátria. 
Mas daqui a dois ou três dias, será como que Portugal nunca tivesse atingido este feito. O "bombardeamento" aconteceu dias antes e já se fartaram de o usar...
Mas é como o final do «Network - Escândalo na TV». Pode acontecer tudo e mais alguma coisa, mas as notícias continuam. E amanhã, existirão novos casos que serão "notícia". 
Volto a repetir: acho que devemos dar os parabéns aos nossos atletas. Mas que não nos esqueçamos que isto, de facto, aconteceu, e que não foi apenas mais um caso de rotina...

Sem comentários:

Enviar um comentário

Se chegaram até aqui e tiverem alguma mensagem, crítica, ou opinação a fazer em relação ao que acabaram de ler, façam o favor de o escrever aqui. A gerência agradece e responde (se não forem nenhum príncipe da Malásia que tem 10 milhões de dólares para me oferecer, claro).