A Quadrilha Selvagem (The Wild Bunch)


«A Quadrilha Selvagem» mostra ser um filme de uma qualidade rara e de uma frescura incomparável. Passados mais de quarenta anos sobre a sua estreia, o filme ainda causa polémica na atualidade pela sua violência e a sua forma de mostrar o género Western. Sam Peckinpah realizou este filme e co-escreveu o argumento do mesmo, naquele que é, sem dúvida, o seu filme mais conhecido e admirado. E acho que, depois de ter visto «A Quadrilha Selvagem» e os documentários que fazem parte dos extras da edição DVD, apercebi-me que conheço mesmo pouco da obra deste realizador, tão subestimado pela maioria das pessoas e cuja carreira tem muito boa "fruta" para ser colhida.
Sam Peckinpah adorava o género Western, que foi o que usou na maioria dos seus filmes. Em certa medida, «A Quadrilha Selvagem» marca o fim (temporário) dos sucessos de crítica e bilheteira dos Westerns, mas por outro lado, foi com este filme que se deu início a uma nova perspetiva de ver o Cinema, com uma nova forma de se mostrar a violência, mais provocadora e chocante (e que se desenvolve cada vez mais) auxiliado com os melhores ingredientes que são necessários para se obter um Western excelente. «A Quadrilha Selvagem» retrata também o fim de uma era, a do Velho Oeste e de todas as suas particularidades, já que se situa cronologicamente no princípio do século XX, que marcaria uma grande viragem para os Estados Unidos da América.
«A Quadrilha Selvagem» segue as desventuras de um bando de criminosos (liderados por Pike Bishop, interpretado por um excecional William Holden) que pretendem fazer o seu último "trabalho" ao ajudarem um general mexicano a obter um carregamento de armas, assaltando o comboio de onde vieram as mesmas, ao mesmo tempo que há uma espécie de jogo do "gato-e-rato" em que Pike e a sua pandilha são perseguidos por Deke Thornton (interpretado por Robert Ryan) e uns quantos caçadores de prémios, que pretendem obter a sua recompensa com a captura desta "quadrilha selvagem".
Em «A Quadrilha Selvagem», o espetador não apoia os bons, mas sim os maus da fita. Torcemos para que a Quadrilha se safe dos sarilhos em que se metem, apesar de sabermos que aquele bando se trata de um grupo de homicidas, sedentos pela recompensa dos seus assaltos, sem olhar a meios para a conseguir obter. Mas ao longo do filme apercebemo-nos que, lá no fundo, nem são más pessoas e só são, apenas, os últimos "sobreviventes" dos últimos dias do "Far West".
Sam Peckinpah realiza este fantástico filme, inesquecível, bem composto e ritmado, e recheado com um elenco de atores de grande qualidade, naquele que é um dos Westerns mais marcantes da História do Cinema e que continuará a dar que falar por muito tempo.

Nota: * * * * *

Comentários