Touro Enraivecido


Há muito tempo que esperava voltar a ver um filme assim. Um filme que nos deixa completamente devastados e (para condizer com o tema do mesmo) em perfeito K.O.

«Touro Enraivecido» entrou para a minha lista de filmes marcantes assim que acabei de o ver. Martin Scorsese assina aqui uma das suas maiores obras-primas, que valeu o segundo Oscar ao sotôr de Niro, e, ao que parece, vai ter sequela (vejamos é o que vai sair daí).

O filme entra em, praticamente, todas as listas de todas as entidades e críticos deste mundo que trabalham no mundo do cinema. E, também, é fácil de perceber: «Touro Enraivecido» tem uma força (odeio esta palavra, mas cá vai) brutal, que prende o espetador ao ecrã, completamente petrificado com todo aquele trabalho tão bem planeado e executado. Daí também «Touro Enraivecido» ser considerado o melhor filme dos anos 80 (mas não nos podemos esquecer, contudo, de «Era Uma Vez na América», outra obra divinal da História da Sétima Arte).

Filmado inteiramente a preto e branco (o que assenta que nem uma luva ao filme), «Touro Enraivecido» conta a história de ascensão e queda do pugilista Jake La Motta (Robert de Niro), da sua família, da sua relação com o irmão (interpretado por Joe Pesci) e com o próprio desporto para o qual trabalha. Martin Scorsese é um mestre a contar histórias, e aqui sabe, como ninguém, recriar as lutas no ringue e as lutas pessoais de La Motta. Não é por acaso que é um dos realizadores mais influentes (e mais bem-falantes) de Hollywood. E «Touro Enraivecido» é um filme que, não tendo palavra melhor para o descrever, já que é nestes casos que fico quase sem saber o que dizer (e posso, então apenas engonhar por umas quantas linhas, como estou a fazer neste preciso momento), um filme arrebatador, espetacular e inesquecível. Vejam vejam vejam!
Nota: * * * * *

Comentários

  1. Abriste-me o apetite para rever o filme, ao fim de tantos anos... Obrigada, 1beijo :)

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Se chegaram até aqui e tiverem alguma mensagem, crítica, ou opinação a fazer em relação ao que acabaram de ler, façam o favor de o escrever aqui. A gerência agradece e responde (se não forem nenhum príncipe da Malásia que tem 10 milhões de dólares para me oferecer, claro).