quarta-feira, 16 de maio de 2012

Sweet Little Seventeen!

E pronto. No dia de ontem cheguei àquela idade em que a música dos GNR, aquela que eu mostrei um elevado interesse há uns tempos, deixou de fazer sentido (se é que tinha algum) . Então porquê? Porque já não tenho dezasseis anos. E por isso, já não tenho o desgosto de vestir como os DJ's, tenho agora tempo (como já 'tou noutra idade) de ler «O Senhor dos Anéis» (embora, senhor Tolkien, com muita pena minha, penso que isso não irá acontecer... por agora) e, mais do que isso, falta ainda menos para chegar aos 96.
(ok, para compreenderem o sentido de todo o parágrafo anterior, ouçam atentamente a letra de "Sub-16", dos GNR. Depois vão perceber. Ou não. Também, é música dos GNR, portanto, percebo que seja de difícil compreensão)
Mas pronto, confesso. Com 17 anos continuo a gostar da música. Era idiota se deixássemos de gostar de uma música só porque a idade é outra. OK, a não ser que se esteja a falar dos sucessos do Netinho, daquela música estúpida de uma banda chamada Cartoon e de milhentas músicas infantis que se tornam um pouco patéticas com o tempo. Mas pronto! De resto, não há desculpa! Ou há? Agora não sei.
Continuando: chegou-se a essa idade... a essa idade... ia dizer "mágica", mas penso que iria estar a cometer um grande erro. Porque afinal, os 17 anos não tem qualquer importância. É apenas uma transição da primeira conquista da adolescência, os 16, para a outra, a dos 18, onde o ser humano atinge a maioridade. E, além disso, 17 é um número feio. 17... bah.
O que interessa é, no dia em "que o rei fez... 17 anos", há festa! E este ano, a festa até foi bem especial. Além do já habitual mimo familiar, é gratificante chegar-se à escola, receber um "PARABÉNS" de toda a turma em uníssono, e ter uma dedicatória no quadro escrita por duas grandes amigas minhas (ver imagem acima). E, por isso, o que importa não é a importância da idade. É ter-se a família e os amigos a festejá-la connosco, independentemente qual seja.
Veremos se os 19 anos terão tanta festividade como os 17. Eh eh eh...

1 comentário:

  1. Parabéns! E parabéns a dobrar porque ter esse mimo familiar habitual, é um privilégio, mas, ter uma Turma que em uníssono, Te dá os parabéns à tua chegada e ainda uma bela e cheia de amizade, dedicatória no quadro da sala de aulas... é ter carisma!!! E sim, tens razão, a idade não importa, mas importa e muito, ter-se a Família e os Amigos por perto e a festejá-la connosco. Parabéns por tudo isso que irás apreciando e confirmando pela vida fora! Pelo menos, até aos 96... :))

    ResponderEliminar

Se chegaram até aqui e tiverem alguma mensagem, crítica, ou opinação a fazer em relação ao que acabaram de ler, façam o favor de o escrever aqui. A gerência agradece e responde (se não forem nenhum príncipe da Malásia que tem 10 milhões de dólares para me oferecer, claro).