terça-feira, 1 de maio de 2012

Cartas de Iwo Jima

«Cartas de Iwo Jima» é o filme que complementa as duas visões do terrível conflito que, durante a Segunda Guerra Mundial, teve lugar na ilha de Iwo Jima. Depois da perspetiva da fação americana do combate, é aqui mostrada, neste filme, a versão japonesa dos acontecimentos. Partindo de escritos reais do general Kuribayashi, Clint Eastwood e a sua equipa reconstituem, da forma mais fiel possível à realidade (mais uma vez), os dramas e as peripécias que os combatentes japoneses tiveram que passar durante o conflito. E se o primeiro filme, «As Bandeiras dos Nossos Pais», já tinha sido um filme bastante bom, este tornou-se excelente, por ser ainda mais profundo e por analisar melhor o que se passou na ilha de Iwo Jima. Praticamente quase todo falado em japonês, este filme é uma lição de História, uma lição de Cinema, e também uma lição para o Mundo, pois o objetivo de todo o filme será que todos aqueles procedimentos de guerra não passem deste filme e que não voltem a tornar-se realidade. Em «As Bandeiras dos Nossos Pais», abordava-se mais em pormenor o mudar de vida que um indivíduo sofre depois de ter estado a servir o seu país em guerra. Em «Cartas de Iwo Jima», é-nos mostrado, de uma forma intensa e, em certos momentos, chocante, de como a mentalidade de todos aqueles soldados fica perturbada, e mudam as suas noções de patriotismo ao encararem com as mortes, as catástrofes, e por uma derrota, que a cada dia se tornará mais certa. «Cartas de Iwo Jima» é um excelente épico de guerra que já se tornou um clássico, e dos mais realistas e mais interessantes filmes sobre a Segunda Guerra Mundial. Os dois filmes devem, de certeza, ser vistos, pois complementam-se um ao outro, mas penso que esta visão dos japoneses torna-se mesmo obrigatória para quem gosta de filmes deste género, com um certo toque de humanidade, que nos mostra que as pessoas não são máquinas prontas a destruir o primeiro ser humano que lhes aparece à frente.

Nota: * * * * *

2 comentários:

  1. Para mim o melhor filme realizado pelo Clint Eastwood que há sua maneira demonstra o que o ser humano faz pela sua sobrevivência assim que perde a sua dignidade.Icewood(isto é Eastwood!) capta muito bem a mentalidade japonesa da época sendo impressionante, realista e MESMO DIFÍCIL DE ACREDITAR aquela cena de suicídio colectivo, embora infelizmente seja a realidade que os soldados japoneses viveram.Gosto também do facto de Eastwood demonstrar como os estado-udinenses também eram capazes de actos de crueldade apenas por uma pessoa estar a ser um fardo.Ps-Adorei o Ken Watanabe neste filme!Psps-Sr.Rui quando é que faz uma analise do Inception?
    Uma opinião anónima(outra!)-Amêndoa Amarga

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado Amêndoa Amarga. O Inception já tive ocasião de ver umas duas vezes, uma delas no cinema, e quando o vi escrevi uma mini crítica no blog, numa altura em que escrevia coisas muito pequenas e sem nexo - com menos nexo do que hoje. Deve estar por aí mas achei que não era "digna" de ir para o índice...

      Eliminar

Se chegaram até aqui e tiverem alguma mensagem, crítica, ou opinação a fazer em relação ao que acabaram de ler, façam o favor de o escrever aqui. A gerência agradece e responde (se não forem nenhum príncipe da Malásia que tem 10 milhões de dólares para me oferecer, claro).