sábado, 21 de abril de 2012

Amigos Improváveis

Por vezes surge um filme europeu que se torna objeto de um culto incrível pelos quatro cantos do mundo. Casos como «O fabuloso destino de Amèlie», «A Melhor Juventude» e o mais recente «Bem-vindo ao Norte» são provas disso, que fazem muitas pessoas soltar a célebre frase (apesar de revelar ser de um teor um pouco ignorante) "Ah, gostei do filme, apesar de ser europeu". Em 2012, o sucesso mundial foi para o filme francês «Intouchables», que tive, há pouco, o grande prazer de ver numa sala de cinema. O que mais me surpreende é como o filme tem sido unanimemente aceite pelas pessoas da minha geração, e a forma como todas elas acarinharam o filme é digno de nota. É fantástico, digo-vos, como certos filmes podem unir gerações. Este é um deles.
Só não gosta de «Intouchables» quem não quer. Desculpem, que uma pessoa não goste tanto do filme como eu gostei, até percebo. Mas... há assim alguma razão para se achar o filme péssimo? Eu penso que temos aqui uma obra inigualável. Fez-me voltar àquela sensação que muitas vezes tenho quando vejo filmes europeus (que, na sua maioria, são bons!), de que o Velho Continente tem uma maneira de fazer filmes que nunca os EUA conseguirão chegar. É estranho estar a afirmar isto mas depois de ver um filme como «Intouchables» até me poderia sentir culpado se continuasse a achar, por breves momentos, que os americanos poderiam fazer algo tão bom, desta maneira.
O elevado teor humano de «Intouchables» foi um dos grandes auxiliares a que se tornasse um filme mais do público que de todo o resto. As críticas ao filme podem não estar a ser do melhor (pelo menos cá em Portugal) mas isso não impediu a que o filme também se tornasse cá um caso de sucesso. Volto a afirmar: raros são os filmes que unem as pessoas e que vinte pessoas numa sala de cinema adoraram. Se querem rir um bom bocado, se querem uma história sensata e muito bem escrita, se pretendem uma excelente dupla de atores... vejam «Intouchables». E urgentemente. Este foi dos melhores filmes que vi numa sala de cinema e que é, claro, vai tocar a qualquer um de vós. OK, não tanto como a mim, mas acho que ninguém fica indiferente com a experiência de ver «Intouchables». É cinema europeu, é verdade, e é, ao mesmo tempo, cinema comercial. Mas por amor de Deus. deixem-se de esquisitices e vejam este filme!

Nota: * * * * 1/2

2 comentários:

  1. Vou ver. Urgentemente! Até porque sou e sempre fui, uma grande apreciadora do cinema europeu. Vivi uma bela época de actores e filmes europeus. Franceses, italianos, de todo o género. Bom cinema! Obrigada pela "dica" tão apetecível...

    ResponderEliminar
  2. Todos deviam ver! Que belíssimo filme. Francês, claro! Ninguém pode ficar realmente indiferente a este filme. Mais, hoje, no final do programa mensal na RTP(3ºcanal?), com a Sra. Dra. Teresa Patrício Gouveia e o Sr. Dr. Jorge Sampaio, este último, sugeriu como "a não perder",o filme fantástico "Amigos Improváveis", acompanhado de outros bons comentários! Na mesma linha dos que fazes acima. Mais uma vez obrigada pela sugestão. Vou seguindo o blog porque vale a pena!

    ResponderEliminar

Se chegaram até aqui e tiverem alguma mensagem, crítica, ou opinação a fazer em relação ao que acabaram de ler, façam o favor de o escrever aqui. A gerência agradece e responde (se não forem nenhum príncipe da Malásia que tem 10 milhões de dólares para me oferecer, claro).