sexta-feira, 23 de março de 2012

Olha! O Império diz que Contra Ataca! E bem!

Se o Império não tivesse querido contra-atacar, será que o franchise de «Star Wars» seria tão famoso, lendário, bom, e um alvo fácil para inúmeras cópias (ou como quem diz, homenagens)? Eu penso que não.
«Star Wars V: O Império Contra Ataca» (um dos poucos títulos que, na minha opinião, soa melhor na língua dos tugas) é uma sequela digna do filme original, e, com certeza, melhor. Deste não tenho dúvidas. É raro quando consigo sobrepôr a sequela de um filme ao primeiro de todos, mas «Star Wars V» foi uma dessas exceções.
A ficção científica está longe de ser o meu forte - aliás, será que eu tenho algum género cinematográfico que perceba melhor? Duvido -, mas consegui ver a quantidade de bom cinema que perpassa todo este filme. Se, no anterior filme, achei que a história tinha sido boa, mas mais simples e mais resumida às batalhas com os sabres de luz e as pistolas laser que qualquer petiz de seis anos ambiciona adquirir (mas que, se isso acontecesse, o brinquedo não iria durar mais que uma semana), neste já temos uma trama como deve de ser, que abrange não só os domínios do sci-fi (com os confrontos entre os dois lados da Força), mas consegue ir mais longe e não ficar só restrita ao grupo de fãs desse género cinematográfico (talvez por isso este filme esteja tão bem classificado no IMDB).
«Star Wars V» é um filme de culto, que mereceu ganhar esse estatuto. A demanda de Luke Skywalker para se tornar um cavaleiro Jedi e, assim, conseguir vencer o lado negro da força, torna-se numa grande aventura recheada de efeitos especiais, bonecos de pantomima (mas que são giros!), muita ação, boas interpretações, uma banda sonora magistral (isso, felizmente, perpassa todos os capítulos da saga) e uma grande criatividade por parte de George Lucas.

Nota: * * * * 1/2

2 comentários:

  1. Um excelente filme(olha!mais um a dizer!) que atinge um grande clímax quando aquele tipo com um fato de macaco preto que cada vez que inspira e expira esta a ter um ataque de asma diz aquela frase que faz eco ainda hoje"Luke, I am your father!" sendo uma das maneiras mais assustadoras de assumir a paternidade hoje em dia.Um drama extraordinário e maior que todos nós (galáctico não é?) que tocou todas as pessoas que o visionaram.Sr.Rui da segunda trilogia recomendo ver apenas o terceiro porque é o único que está ao nível deste.
    Uma opinião anónima:Amêndoa Amarga

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ainda não tive coragem para pegar na segunda trilogia...

      Obrigado pelo comentário! :)

      Eliminar

Se chegaram até aqui e tiverem alguma mensagem, crítica, ou opinação a fazer em relação ao que acabaram de ler, façam o favor de o escrever aqui. A gerência agradece e responde (se não forem nenhum príncipe da Malásia que tem 10 milhões de dólares para me oferecer, claro).