sexta-feira, 16 de março de 2012

O sentido da vida - e não, eu não tenho a resposta para isso!

Se alguém estiver interessado em descobrir o sentido da vida, espero que a última coisa que se lembre é deste filme dos Monty Python, que curiosamente, ganhou um prémio de Cannes (nunca pensei que isto fosse possível!). Porque sim, este filme não vos traz resposta nenhuma para os grandes dilemas da Humanidade: A vida, a morte, etc. É um filme que parte de alguma coisa e nada conclui. E é por essa e outras razões que este filme é divertido, inteligente, infantil ao mesmo tempo, e carregado do estilo particular dos Python. O fantástico grupo britânico (que, ao que parece, vamos poder voltar a ver em breve) faz neste filme uma sátira pura e dura ao próprio conceito do sentido da vida, ou das variadas respostas que as pessoas dão a essa fatídica pergunta, mas que toca a todas as gerações.
«O Sentido da Vida» não é o melhor filme dos Monty Python. Mas dos quatro que eles fizeram, ponho este em terceiro lugar. Para mim o melhor é «O Cálice Sagrado», seguido muito de perto por «A Vida de Brian». E depois vem este, uma série de sketches (alguns excelentes, outros - em menor quantidade, felizmente - mais fraquinhos) que parodia todas as fases da vida do ser humano. «O Sentido da Vida» é um quase-musical satírico provocador que merece mesmo ser visto. alguns talvez possam ficar ofendidos ou ultrajados com o filme, mas eu recomendo, quer para os fãs dos Monty Python (que têm obrigatoriamente de ver este filme), quer para os "meros mortais", que andam por aí sem terem tido a oportunidade de conhecer o estranho e complexo universo destes seis malucos do non-sense.

Nota: * * * *

Sem comentários:

Enviar um comentário

Se chegaram até aqui e tiverem alguma mensagem, crítica, ou opinação a fazer em relação ao que acabaram de ler, façam o favor de o escrever aqui. A gerência agradece e responde (se não forem nenhum príncipe da Malásia que tem 10 milhões de dólares para me oferecer, claro).