sábado, 18 de fevereiro de 2012

A minha adolescência dava um filme paquistanês

(nada contra o cinema vindo do Paquistão, que eu desconheço totalmente, mas foi só para modificar um pouco o bordão usado pelos Gato Fedorento)


A minha personagem da nova peça do teatro lá da escola tem uma fala que reza assim:


As raparigas são tão complicadas! Por um lado, parece que gostam de nós, depois já não gostam porque apareceu um rapaz mais giro e elas ficam todas loucas por ele. Francamente, não dá para compreender as mulheres...


Eu diria que, se não soubesse que não fui eu que escrevi isto, diria que saiu da minha própria boca. Porque isto reflete como tem sido a minha vivência com raparigas até hoje. E daí eu identificar-me tanto com pessoas que foram uns totós quando tinham a minha idade, tal como o Nuno Markl (embora, admito, eu seja menos cromo que ele na adolescência em certos aspetos).

Mas é isto, a adolescência... raparigas, e também ser-se parvo e gostar de fazer coisas que não correspondem ao que gostamos na realidade.

Ah, não, espera, esse não é o meu caso (felizmente!). Enquanto que muitas pessoas que eu conheço gostam de se encafuar dentro de uma discoteca e beberem até sair vómito pelas suas bocas, eu gosto de aproveitar o meu tempo a fazer coisas que gosto e que me "formam". Ler, escrever, cinema, passear, andar por aí em encontros ou conferências interessantes... ok, dizem que eu sou maluco em certas coisas (o que é verdade, nomeadamente na minha forma de ser), mas gosto de ser assim. Ah, e sou um maluco são, e que às vezes até tem um pingo de razão.

E é isto, a minha adolescência. Mais pessoas na minha idade já viram «Citizen Kane» ou leram «As aventuras de Huckelberry Finn»? Se sim, pelo menos das que eu conheço, são muito poucas. O que é pena. Há tanta gente burra da minha idade hoje em dia, que até faz impressão!

Mas enquanto isso, eu tento dar um bocadinho de inteligência a mim próprio. Fico mais feliz assim que a fumar um cigarro.

And that's it.

1 comentário:

  1. E és "maior" que muita gente que anda aí a fumar o cigarrinho ou, como dizes, a "beberem até sair vómito pelas suas bocas".
    p.s.: E as raparigas não são complicadas; os rapazes é que são! :b

    ResponderEliminar

Se chegaram até aqui e tiverem alguma mensagem, crítica, ou opinação a fazer em relação ao que acabaram de ler, façam o favor de o escrever aqui. A gerência agradece e responde (se não forem nenhum príncipe da Malásia que tem 10 milhões de dólares para me oferecer, claro).