Ha-ha! - Uma homenagem aos Simpsons

Podeis dizer o que quiserdes, mas «Os Simpsons» é, e sempre será, a melhor série de comédia americana de todos os tempos. Nada pode bater ou superar esta família amarela, que há já mais de vinte anos resiste e continua a dar alegrias em diversas transmissões nos ecrãs televisivos de todo o mundo! E, imagine-se!, «Os Simpsons» está quase a chegar ao meio milhar de episódios!

Lembrei-me de falar desta série porque ontem vi três episódios seguidos na FOX, canal que se encarrega de repetir e repetir e repetir e repetir esta série (o problema é que dão sempre as mesmas temporadas!), e de me ter lembrado o quanto gosto daquela série. Deve ser a única série que me acompanha desde pequeno e que gosto tanto como quando era mais novo. Podem dizer o que quiserem, sim, «Os Simpsons» teve maus episódios, tal como qualquer série, mas é uma sitcom que abriu portas e ainda hoje é muito influente e, mais do que isso, tem piada, muita piada. E foi uma série que, por já ser tão longa, teve a oportunidade de experimentar todos os tipos de comédia que existem para experimentar, e criaram novos caminhos para o humor!

Enfim, eu queria ter feito um post mais virado para o lado mais crítico dos «Simpsons» (posso só dizer que sabe criticar a América de uma maneira muito inteligente, um estilo em que nada se iguala nenhuma outra série animada da atualidade), mas só que essa inspiração veio ontem e ontem eu não pude escrever aqui. Por isso, fica aqui esta minha reles homenagem a uma das séries mais marcantes da minha curta existência.

D'oh! (este post está muito fraquinho, não está? Eu sei que sim)

Comentários

  1. Não ficou fraquinho. Não foi foi escrito durante o teu momento de inspiração o que faz com que, provavelmente, não supere as tuas expectativas acerca dele.

    ResponderEliminar
  2. Oh, mesmo assim não seria por ter escrito na hora certa que ficaria muito melhor :P

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tens problemas de confiança, tu.. Tens, tens.

      Eliminar

Enviar um comentário

Se chegaram até aqui e tiverem alguma mensagem, crítica, ou opinação a fazer em relação ao que acabaram de ler, façam o favor de o escrever aqui. A gerência agradece e responde (se não forem nenhum príncipe da Malásia que tem 10 milhões de dólares para me oferecer, claro).