segunda-feira, 2 de janeiro de 2012

Precious

Um retrato negro e cru da vida num ghetto na América da década de 80, é como se pode resumir este filme, «Precious», sobre uma adolescente de 16 anos, vítima de maus tratos por parte da Mãe, e violada pelo Pai, que tenta fazer a sua caminhada ultrapassando alguns obstáculos pessoais que se lhe vão surgindo. Ver este filme foi uma grande surpresa. Não é dos tradicionais filmes melodramáticos todos bonitinhos de Hollywood, com uma Sandra Bullock ou uma Susan Sarandon a salvarem o dia e serem muito queridas e semelhantes a anjinhos muito santinhos (aliás, por mim, o Oscar não teria ido para a Bullock, mas sim para Gabourdey Sidibe, protagonista de «Precious»). É um filme realista, e por isso um filme extraordinário, com excelentes interpretações, argumento e realização. Dos poucos filmes dos Oscares de há dois anos que não são medianos. Este é extraordinário.

Nota: * * * * *

1 comentário:

  1. A meu ver é apenas razoável, o que o salvou foi o trabalho do elenco. 2*

    ResponderEliminar

Se chegaram até aqui e tiverem alguma mensagem, crítica, ou opinação a fazer em relação ao que acabaram de ler, façam o favor de o escrever aqui. A gerência agradece e responde (se não forem nenhum príncipe da Malásia que tem 10 milhões de dólares para me oferecer, claro).