quinta-feira, 5 de janeiro de 2012

Através da Noite

Este filme é curioso. Não me informei muito sobre ele antes de o ver, e só passado um bocado de ter começado a visioná-lo, é que me apercebi que era mesmo ficção, apesar de todo o ambiente meio "documental" que Woody Allen construiu no mesmo . Mas ao verem-se cenas com o estilo inconfundível do autor, é que me apercebi mesmo que era tudo ficção e nada de realidade. É um filme muito engraçado, sobre Emmett Ray, um guitarrista americano convencido, egocêntrico e arrogante, que se acha o melhor tocador de guitarra de todo o mundo. Ou aliás, o segundo melhor. À sua frente só fica o seu ídolo (quase como se fosse o seu Deus), um guitarrista francês, de nome Django Reinhardt. Esta obra é divertida e bem construída, e como já disse, tem lá a marca de Woody Allen. É por isso um filme diferente, de um autor que se distingue pela sua criatividade, que se demonstra com este filme, com boas interpretações e banda sonora. E tenham cuidado... pode parecer, mas este filme não tem nenhuma inspiração na vida de algum músico. A não ser que conheçam um guitarrista que tenha como passatempos andar aos tiros a ratazanas ou ver passar comboios de mercadorias. Assim mudo de opinião. Mas de resto... é tudo fruto da imaginação de Woody Allen.
Nota: * * * *

Sem comentários:

Enviar um comentário

Se chegaram até aqui e tiverem alguma mensagem, crítica, ou opinação a fazer em relação ao que acabaram de ler, façam o favor de o escrever aqui. A gerência agradece e responde (se não forem nenhum príncipe da Malásia que tem 10 milhões de dólares para me oferecer, claro).