terça-feira, 24 de janeiro de 2012

Amor de perdição

Parte da matéria da disciplina de Literatura Portuguesa, li o clássico lacrimegante e sentimental que é «Amor de Perdição». É uma obra prima da literatura da nossa língua, é verdade, mas não vai muito ao tipo de história que eu gosto de ler. Mas gostei muito desta obra, apesar dos seus poucos defeitos. Acho que foi uma boa experência para iniciação à obra de Camilo Castelo Branco. E lê-se num instante! Ao contrário de outro que estou a ler ao mesmo tempo, mas que me está a captar mais a atenção: «A cidade e as serras» de Eça de Queirós. Em «Amor de Perdição», comprovei a minha teoria, graças à prova dada com a história de Camilo Castelo Branco, que bate certo pelo menos na minha pessoa. Amores só dão desgraça - pelo menos, até ao dia de hoje, foi o que me tem acontecido... Enfim, um dia mudará. Um dia...


Nota: * * * * 1/2


Como já devem ter reparado, se a escrever críticas de filmes sou uma lástima, então de livros...

3 comentários:

  1. Neste aspecto: "(...) Amores só dão desgraça - pelo menos, até ao dia de hoje, foi o que me tem acontecido... Enfim, um dia mudará. Um dia..."

    ResponderEliminar

Se chegaram até aqui e tiverem alguma mensagem, crítica, ou opinação a fazer em relação ao que acabaram de ler, façam o favor de o escrever aqui. A gerência agradece e responde (se não forem nenhum príncipe da Malásia que tem 10 milhões de dólares para me oferecer, claro).