quarta-feira, 28 de dezembro de 2011

To be continued... next year.

E pronto, acho que já escrevi o que tinha a escrever, já deixei a minha alma mais aliviada. É que, provavelmente, só voltarei a postar qualquer coisa aqui em 2012, por isso, decidi escrever já tudo o que queria para assim ficar mais descansado e com menos uma coisa na cabeça.

Estranho foi este ano de 2011, que ficará, certamente, marcado por muitos acontecimentos que mudaram o mundo para algo novo, como o que aconteceu com as mortes de Bin Laden, Muhammar Khadafi e, mais recentemente, Kim Jong-Il. A música ficou marcada também pelo desaparecimento de Amy Winehouse, e também de Clarence Clemons, saxofonista da E Street Band de Bruce Springsteen. O mundo do cinema perdeu Elizabeth Taylor, e a comunicação ficou sem Artur Agostinho. Steve Jobs revolucionou o mundo digital, e partiu também este ano, deixando uma empresa gigante cheia de sucesso a caminhar para um futuro cada vez mais tecnológico. Por cá, em Portugal, a austeridade, a Troika, e a eleição de um novo Primeiro Ministro foram algumas das notícias mais importantes do ano. Perdoem-me pelas múltiplas coisas que se passaram em 2011 e qe me esqueci de referenciar, mas sou péssimo a fazer revistas do ano, e queria fazer apenas um pequeno paragrafo com algo do essencial deste ano em fim de vida. O resto que faltou aqui falar, alguns de vós saberão o que é e recordar-se-ão. Fica a memória deste ano que trouxe dias tão agitados e preocupantes ao mundo, e também a Portugal.

Já agora, para finalizar, aproveito também para vos dar, caros leitores deste blog (e respetivas famílias), umas boas entradas para o novo ano. Com champanhe, passas, tudo o que quiserem, desde que em 2012 continuem por aqui, a acompanhar (ou a visitarem de quando em vez) as andanças deste blog.

Por isso, vemo-nos por aí, em 2012!

1 comentário:

  1. Lol, foi um bom resumo, eu mesma não lembrava de metade dos acontecimentos!
    Bom ano Ruizitoo ;)

    ResponderEliminar

Se chegaram até aqui e tiverem alguma mensagem, crítica, ou opinação a fazer em relação ao que acabaram de ler, façam o favor de o escrever aqui. A gerência agradece e responde (se não forem nenhum príncipe da Malásia que tem 10 milhões de dólares para me oferecer, claro).