Padres à vassourada

O título da notícia e o canal que a noticiou são, só por si mesmos, uma comédia pura. Quem é que vai dar um título destes a uma notícia? Ninguém puramente são. A RTP decidiu ser ela, desta vez, a fazer o papel de parva (os três canais fazem turnos. Por vezes é com a RTP, outras com a SIC e depois há ainda outras - mais frequentes - com a TVI...), decidindo dar a esta triste notícia um título que bem poderia ser o de uma comédia de domingo à tarde, protagonizada por Adam Sandler ou outro da sua pandilha. O que a notícia... noticiava, queridos leitores, era que ocorreu, na Igreja da Natividade, em Belém (se fosse na nossa Belém teria também uma certa piada, mas não, isto ocorreu na Belém onde nasceu Jesus Cristo), um combate "mortal" entre padres ortodoxos e apostólicos, cuja arma os "soldados" de cada lado empunhavam era, nada mais nada menos, que... vassouras. Parece-me que, segundo pude pesquisar, o objetivo dos padres de ambos os lados era limpar a dita igreja. E os indivíduos, quais donas de casa desesperadas por limpar vis bolas de cotão entranhadas nos cantos das salas de jantar, puseram-se, literalmente, à vassourada. A causa do sucedido, não se sabe bem qual, mas talvez este incidente (que, ao que parece, já é habitual acontecer todos os anos, só que desta vez alguém filmou para mostrar ao público de todo o mundo) se deva a «jurisdição alheia».

Se o título da notícia já era de si algo impróprio para um serviço noticioso (excetuando a FOX News, essa sim pode fazer o que bem lhe entender porque de notícias pouco tem ou faz), o corpo da notícia é já digno de ser adaptado para um sketch de uma qualquer série de humor britânico negro e que goste de gozar com estes temas (este sim, ao menos, eu veria, ao contrário do filme com Adam Sandler). E disto se faz o dia-a-dia da informação, meus amigos e minhas amigas, e é assim que o nosso mundo gira. Daqui a uns tempos, talvez, teremos pessoas das produções fictícias a trabalharem em títulos humorísticos para as notícias. Tais como "ah ah! Olha! Diz que faleceu o King Jong-Il!", ou então "vamos lá sporting! É dar cabo desses amaricados do Académica pá!". Não me admira nada que isto acontecesse. Deste país, e deste mundo, já não espero nada.
Mas o que é importante pensar, ao ler ou ver esta notícia, é o facto de, ainda nos nossos dias, as religiões gostarem de se combater entre si e, tal como certas pessoas com as suas ideologias políticas, não praticarem ações segundo aquilo que pensam. Sim, esta notícia é algo diminuta para se relacionar com um tema como este, mas é verdade. Se fossem assim tão padres, não iriam andar à, desculpem-me o calão, "batatada", por causa de uma coisinha destas. Segundo o que relata o jornal SOL (onde fui confirmar o que sabia sobre esta notícia), não foram feitas detenções porque, pois, os envolvidos são «homens de Deus». Grandes homens de Deus, sim senhora. Ou então, os padres são muito retrógados e pensam que assim não vão parar ao Inferno ficam com um lugar VIP garantido para o Paraíso, ao lutarem uns contra os outros, estando assim, claro, a seguir a máxima do Cristianismo, o mandamento maior, "Amai-vos uns aos outros como Eu vos amei" (estou, obviamente, a ser irónico)... Esta situação é grave, meus amigos. É como se, magicando aqui uma situação que dê para resumir a problemática desta ocorrência, dois pacifistas lutassem um contra o outro até morrerem para decidirem qual deles iria à televisão falar contra a pena de morte...

O que me faz rir a sério é ao ler que este acontecimento já é habitual. Como se um habitante local dissesse "Ah, sabe, isto já é algo natural, já estamos habituados. Até já é uma tradição, olhe! Já nem vivemos sem esta luta anual!". Porque é que, ainda hoje, se se consegue ser tão atrasado nestes aspetos? São as ironias desta vida...

Comentários