Nos idos de Março



Não pode haver melhor combinação neste mundo do que ir ver um bom filme ao cinema a custo zero. Pelo menos do bilhete.

Ontem, fui à antestreia de «Nos idos de março», o novo filme realizado e interpretado por George Clooney, embora que aqui esteja num papel mais secundário.

Gosto de filmes que envolvem política, e que conseguem ser reais e não cair em exageros ou disparates do tamanho de um arranha-céus. E por isso gostei muito deste filme, ao contrário de muita gente que também sobre ele se pronunciou. Chamem-me o que quiserem, eu até nem sou grande fã do Clooney, mas apreciei bastante esta fita, com um sólido argumento e grandes interpretações.

E pode ser uma história ficcionada, mas encontra-se nela imensas partes que poderiam fazer um filme verídico. Corrupção, manipulação, tudo o que envolve a política está em «Os idos de Março», e recomendo que, se puderem, o vão ver e tirem as vossas conclusões. É um filme americano, mas tanto faz a sua nacionalidade, porque toca a todos os países e a todos os governos do mundo.


Nota: ****1/2

Comentários