quarta-feira, 12 de outubro de 2011

Não sou grande seguidor de Darren Aronofsky. Também, antes de ter visto este «Requiem for a dream», dele só tinha visto o «Black swan» que achei interessante. Mas ao ver este filme, acho que fiquei com uma opinião completamente diferente do realizador. Gostei muito deste filme, aliás porque trata de temas que permanecem e continuarão a permanecer atuais por muito tempo: a droga e a ambição de algumas pessoas que têm como objectivo de vida aparecerem pelo menos cinco minutinhos na televisão, quer como emplastros, quer a dar uns bitaites a fingirem que são muito sabedores.Seguimos várias histórias: a de Harry, a da sua namorada, a da sua Mãe e a do seu amigo, sendo ambos traficantes de droga. Têm um plano para conseguir levar o seu negócio avante, mas algo corre mal, e tudo vira do avesso. O mesmo irá acontecer com a Mãe de Harry, Sara, que tem como droga a televisão e se sente desejosa de entrar nesse mundo, fazendo tudo o que estiver ao seu alcance para concretizar o seu sonho.Fiquei fascinado com este filme. É uma grande obra prima. Darren Aronofsky traz uma realização diferente, numa abordagem também inovadora a estes temas. É um filme que principalmente os jovens deveriam ver. Aconselho.


Nota: *****

Sem comentários:

Enviar um comentário

Se chegaram até aqui e tiverem alguma mensagem, crítica, ou opinação a fazer em relação ao que acabaram de ler, façam o favor de o escrever aqui. A gerência agradece e responde (se não forem nenhum príncipe da Malásia que tem 10 milhões de dólares para me oferecer, claro).