segunda-feira, 1 de agosto de 2011

Pude rever ontem, na RTP Memória, «O leão da estrela», um grande filme do cinema português, mesmo que os que não gostam deste período do nosso cinema e dizem que estes filmes são entretenimento e não fazem as pessoas pensar (até parece que os filmes que esses ditos cujos gostam do cinema português fazem o espectador pensar... AHAH deve ser para rir).


Acho que os filmes desta época tinham uma coisa que nunca mais alguém soube fazer: humildade. As histórias simples e humanas destes filmes cativavam e continuam a cativar o público, quando toda a família se junta à volta da TV para recordarem Vasco Santana, António Silva e todos esses grandes actores, e esse é uma das grandes vantagens destes filmes, é que são para toda a família(tente fazer isso, sr Manoel de Oliveira. Aliás, esse realizador costuma dizer mal deste tipo de filmes, mas que se saiba ele participou na «Canção de Lisboa»), e não precisam de estar carregados de efeitos especiais nem de ter grandes orçamentos.


A história deste filme é conhecida de todos, e o grande ponto alto do filme é António Silva, aqui a fazer o papel de oportunista que só o actor sabia fazer, aqui num filme que envolve futebol. Um grande clássico do cinema português, que mesmo que já tenha visto 17343 vezes nunca me canso de rever.
Nota: ****

Sem comentários:

Enviar um comentário

Se chegaram até aqui e tiverem alguma mensagem, crítica, ou opinação a fazer em relação ao que acabaram de ler, façam o favor de o escrever aqui. A gerência agradece e responde (se não forem nenhum príncipe da Malásia que tem 10 milhões de dólares para me oferecer, claro).