Mortal Kombat Pingo Doce VS Continente - O regresso

Hoje, decidi voltar a pegar num tema que já tinha dado que falar há uns tempos aqui no blog, dando-lhe um título que se parece o mesmo de um daqueles de acção chunga com o Steven Seagal ou o Silvester Stallone ou outro dessa pandilha.


Bem, as duas conhecidas marcas de supermercados voltaram, agora com novas campanhas de publicidade. Campanhas essas que suscitaram o meu interesse para a escrita deste texto.


Comecemos pela nova campanha do Pingo Doce, que envolve cabazes a dez euros recheados com as mais variadas carnes (não é para fazer publicidade, mas que aquilo tem bom aspecto... lá isso tem!). Num dos anúncios da nova campanha, aparece o gerente da dita campanha de supermercados, que diz, basicamente, que «NÓS SOMOS OS MAIS BARATOS! COMPAREM E COMPROVEM PÁ!», como se dissessem «ai é? Não acreditam que somos mais baratos? Então quando forem à concorrência, vão ver depois no talão das compras que gastaram mais dois euros em batatas para cozer que aqui são mais baratas! P'ra verem!».


Ou seja, dantes eu até pensava que o Pingo Doce até eram uns tipos simpáticos que, sim senhora, andavam a tentar arranjar clientes através de diversas tácticas de manipulação, mas que pelo menos sorriam com menos falsidade que os do Continente. Agora, atacaram à bruta para convencerem os clientes que são os mais baratos. Daqui a bocado temos agentes do Pingo Doce à paisana a tentarem levar os comuns mortais a fazerem compras lá. Ou então é só o meu cérebro a imaginar coisas. É, deve ser isso.


Já a nova campanha do Continente também tem o seu quê de violência. Ora bem, o que se sucede na nova campanha dessa marca? Bem, primeiro, vemos pessoas em vários locais, muito tristes e com um tédio descomunal, como se tivessem no corredor da morte. Depois, vem o rapaz que anuncia o Continente, iei! Alegria! Estamos no paraíso. Por outras palavras, o que esta campanha quer transmitir ao espectador é «Estão a ver? Eu compro no Continente, vivo nas nuvens, e vós, bichos da Terra, vivem no Inferno abaixo de cão! AHAHAHAH!».


Esta parte do riso já é dispensável, mas o resto... tem tudo a ver.


Bem, como podem ver, continuo confundido em relação a estas marcas. Talvez a saga continue, e aí teremos muitos mais episódios desta história repleta de acção... e publicidade.


To be, maybe, continued...

Comentários

Enviar um comentário

Se chegaram até aqui e tiverem alguma mensagem, crítica, ou opinação a fazer em relação ao que acabaram de ler, façam o favor de o escrever aqui. A gerência agradece e responde (se não forem nenhum príncipe da Malásia que tem 10 milhões de dólares para me oferecer, claro).