segunda-feira, 29 de agosto de 2011

Falando nos MTV Video Music Awards, sem ser demasiado mau

Parece que a Katy Perry conquistou cinco prémios nos MTV Video Music Awards, o Justin Bieber um, a Britney Spears também ganhou um ou outro e, bem, vejam mas é a lista completa dos vencedores.

O que me faz reflectir sobre se grande parte desses artistas tenham música com qualidade suficiente para ganharem prémios. Mas é a América, vá.

Só que acho que, já que é assim, então o Quim Barreiros devia ganhar um Grammy. Ou o Emanuel. Ou o Tony Carreira. Sem querer desprezar a música pimba. Mas é que me parece que os prémios da música são na sua maioria feitos sobre critérios de quem vendeu mais discos...

But that's the american way of life!

2 comentários:

  1. Eu acho muito coerente. Se a MTV só passa música "dessa qualidade" dentro de uma faixa estreitinha de estilos e estereótipos é natural que os seus prémios reflictam as coisas que passa.

    A questão é que a MTV em si não é representativa da música em geral. Passa 1% da música que se faz por aí e está sempre a repetir a mesma :)

    Só dá "credibilidade" a esses prémios quem quer e quem se deixa iludir por estações de televisão e pelo lixo diário que os media apresentam.

    Também temos outros extremos. Experimenta ver o Mezzo ou a Antena2 todos os dias e verás uma outra faixa de música completamente diferente com prémios completamente diferentes.

    Parece-me que é mais um problema de segmentação do mercado do que de outra coisa qualquer. Isto nada tem a ver com música, mas sim com marketing.

    ResponderEliminar
  2. Pois... se bem que prefiriria ouvir durante um dia inteiro a Antena 2 do que ver meia hora da MTV... Enfim, claro. É tudo marketing. É a MTV e grande parte das rádios, também só passam uma pequena percentagem da música que se faz... é uma pena, mas enfim...

    ResponderEliminar

Se chegaram até aqui e tiverem alguma mensagem, crítica, ou opinação a fazer em relação ao que acabaram de ler, façam o favor de o escrever aqui. A gerência agradece e responde (se não forem nenhum príncipe da Malásia que tem 10 milhões de dólares para me oferecer, claro).