quarta-feira, 13 de julho de 2011

Ultimamente tenho andado a sobrecarregar a box da televisão com imensas gravações, com filmes e séries que quero ver, mas que dão a horas que não dá para eu poder visionar à hora, no conforto do meu sofá.
No meio de Daily Shows, 30 Rock, Colbert Report e Mad Men (que agora vai estrear a nova temporada na RTP2 e que eu já pus a gravar), um dia, quando estava a vasculhar a programação da Fox, dei de caras com «The west wing», ou em português, «Os Homens do Presidente» (ultimamente têm-se traduzido muitas séries com nomes de filmes que já existiam há algum tempo). Já tinha ouvido falar da série, e vi que, para meu deleite, iriam começar a dar desde o primeiro episódio, naquele dia. Pus a gravar, e hoje, finalmente, passadas quase duas semanas da gravação, consegui vê-lo. Entretanto já gravei todos os episódios que já foram transmitidos. E digo-vos que gostei, e que valeu a pena gravar todo esse material. É uma série que me agrada, com bons actores (grande Martin Sheen) e argumento (do autor Aaron Sorkin, o mesmo do filme médiozinho «A rede social»). Pena foi a qualidade desastrosa do episódio. Primeiro, cortaram o ecrã, ficou um quadrado de TV rodeado por fundo preto, e depois a imagem era pixelizada. Não percebo esta nova mania da Fox, mas enfim, a série é boa, e vou ver, pelo menos, os episódios que conseguir gravar. Porque são muitos... Mais ou menos 150.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Se chegaram até aqui e tiverem alguma mensagem, crítica, ou opinação a fazer em relação ao que acabaram de ler, façam o favor de o escrever aqui. A gerência agradece e responde (se não forem nenhum príncipe da Malásia que tem 10 milhões de dólares para me oferecer, claro).