segunda-feira, 20 de junho de 2011

Ui... o III...






«O Padrinho - Parte III» foi visto por esta pessoa que vos escreve.


Esta é a «ovelha negra» da saga. Embora não seja um mau filme, não chega também a ser nenhuma obra-prima, porque não tem aquele espírito dos dois filmes anteriores, e o argumento... não é tão bom, nem a realização. Acho que é isto que acontece quando se faz um interregno tão grande entre dois filmes. Foi por isso que também não gostei muito do último Indiana Jones, o que deu polémica aqui há uns tempos... Acho que, tal como o terceiro filme do «Padrinho», a magia perde-se, porque o filão não foi tratado da mesma maneira que nos outros filmes.
A ideia era boa: Michael Corleone querer redimir-se de todos os seus crimes. Mas... acho que não foi bem apanhada, esta ideia, e o filme torna-se mais numa espécie de «Velocidade Furiosa» cheio de tiroteios idiotas, e envolvendo mais as conspirações do Papa e a relação das personagens de Andy Garcia e Sofia Coppola do que propriamente o que interessa mesmo: Michael Corleone. Ficamos ali a olhar para aquele filme, perplexos com o que é que se terá passado para o argumento não ter sido tão bom.
É uma pena. Não gostei do repentino final e do exagero de certos aspectos ao longo de todo o filme. Não é um péssimo filme, como muitos o pintam, mas não chega a ser um filme memorável.

3.8/5

Sem comentários:

Enviar um comentário

Se chegaram até aqui e tiverem alguma mensagem, crítica, ou opinação a fazer em relação ao que acabaram de ler, façam o favor de o escrever aqui. A gerência agradece e responde (se não forem nenhum príncipe da Malásia que tem 10 milhões de dólares para me oferecer, claro).