Em matéria de livros

Ultimamente, tenho andado a ler obras de cariz mais humorístico. Agora, estou a ler ao mesmo tempo «Para acabar de vez com a cultura» e «Pura Anarquia» de Woody Allen, e vou começar «Linguagem Seinfeld», da autoria de, obviamente, Jerry Seinfeld. Todos estes títulos foram caçados na biblioteca das Galveias (como é bom ter este poder de requisitar livros!), e em breve irei debruçar-me sobre livros do Steve Martin, Groucho Marx e Jon Stewart, que também há nessa biblioteca (não mos tirem, ouviram?).





Mas antes destes livros, li dois que gostava de fazer um breve comentário:



«O clube do cinema»



Uma história simples, mas ao mesmo tempo cativante e divertida, sobre a relação entre um Pai e um filho. A grande ligação entre eles é «O clube do cinema», uma forma do Pai educar o filho, que quis sair da escola, através do visionamento de três filmes por semana. Uma grande lição de vida e um testemunho que vale a pena ler.


5/5



«Caderneta de Cromos»



Sim, eu gosto muito do trabalho do Nuno Markl, gosto bastante de o ouvir na rádio, quando posso, e de ler os livros dele. Mas esta edição livresca com textos da rubrica da rádio comercial fica um pouco aquém do esperado, agora que tive oportunidade de o ler de uma assentada. Além de ele repetir-se um bocado, comparando muitas coisas do tempo da sua juventude com guias que dão sentido à vida, ou expressões parecidas, chega a ser um bocado exaustivo e cansativo. A rubrica é engraçada, mas acho que os melhores livros do Nuno Markl foram os do «Há vida em Markl», e embora este esteja a ser o maior sucesso do humorista em termos de vendas, a «Caderneta de cromos», na minha opinião, prima pela repetição... Como em certas coisas do humor nacional, que acham que repetir um dado sketch ou situação num sem-número de vezes, continua a ter piada. Mas não. Desculpem se este comentário foi mau, e eu gosto do Markl, mas... os defeitos que os textos dele têm, são substituídos por coisas melhores nas versões rádio... Já lendo o texto em si... É difícil explicar, peço desculpa. Eu sou fã da rubrica, e sei da importância que ela tem, e até estive com o próprio Nuno Markl por causa deste livro. Mas agora que o pude ler todo... fiquei com outra perspectiva do mesmo. A rubrica radiofónica continua óptima, isso sim!


3.8/5

Comentários