quarta-feira, 8 de junho de 2011

Às vezes apetece-me ver filmes, mas quero informar-me bem, para não ficar desiludido.

Vejo uma página cheia de críticas, de várias pessoas. Umas elogiam, outras amaldiçoam o filme.

Agora penso naquelas pessoas que adoram um filme e pões no facebook «É espectacular! VEJAM VEJAM! COMPREM!», talvez sem pensarem que, se calhar, os outros não gostam do mesmo tipo de filme.

E assim, se rotulam as pessoas em relação aos filmes que vêem. Pois é!

Eu por vezes, digo que um filme é muito bom. Mas evito dizer aos outros para irem ver se não conhyecer minimamente os seus gostos cinematográficos.

Pode dar asneira.

Por isso, agora, prefiro ver os filmes que me interessam, sem grande ajuda da crítica. Só daquelas pessoas que sei mesmo que têm gostos parecidos com os meus.

Porque nunca vou pedir a uma pessoa fã dos filmes cómicos a roçar o tesourinho deprimente para me falar do que acha do «Padrinho», ou a um intelectual fã a 100% de Godard para me explicar como é «A ressaca II».

As opiniões divergem, pois claro.

Por isso, tenham cuidado com os filmes que aconselham aos amigos. Pode dar mau resultado. E eu agora vou também ser mais cauteloso... nunca se sabe o que uma simples recomendação pode causar.

É melhor guiarmo-nos por quem sabe, ou por quem confiamos. As hipóteses de desilusão são mais baixas.

Mas não desaparecem. Podemos até ter uma surpresazinha...

2 comentários:

  1. Por acaso, tenho imensa curiosidade para saber como é que uma pessoa como tu reage ao "mulholland drive" do David Lynch. Escreve sobre ele, ou vê-o se ainda não o viste, se é que gostas de filmes para quebrar a cabeça xD

    ResponderEliminar
  2. Ui, pelo que tenho ouvido do David Lynch, tenho algum medo xP mas um dia irei ver esse filme e, tá prometido, escrevo sobre ele no blog.

    ResponderEliminar

Se chegaram até aqui e tiverem alguma mensagem, crítica, ou opinação a fazer em relação ao que acabaram de ler, façam o favor de o escrever aqui. A gerência agradece e responde (se não forem nenhum príncipe da Malásia que tem 10 milhões de dólares para me oferecer, claro).